Home / Bahia e Salvador Guia de Turismo / Costa do Dendê / Cairu é uma cidade que oferece além de belíssimas paisagens muita cultura

 
Convento de Santo Antônio em Cairu

Convento de Santo Antônio

Cairu é um município brasileiro do estado da Bahia.

Esse município insular é o próprio Arquipélago de Tinharé, composto por 36 ilhas localizadas num complexo estuarino, onde as ilhas principais são as de Cairu, Boipeba e Tinharé.

Ao todo, existem três vilas (Galeão, Gamboa e Velha Gamboa), seis povoados (Morro de São Paulo, Canavieiras, São Sebastião, Torrinhas, Tapuias e Garapuá) e uma cidade – Cairu. O nome primitivo da ilha de Cairu era Aracajuru, “casa do sol” na linguagem indígena.

Cairu surgiu no século XVI, durante o povoamento da Capitania de Ilhéus. Era uma das mais importantes vilas da Colônia. A sede foi elevada à categoria de vila em 1610 e em 1938 à cidade.

No século XVIII, era considerada a melhor e mais segura moradia da região, onde fixaram residência ouvidores e corregedores da Câmara de Ilhéus.

 

A sede está localizada na Ilha de Cairu e é dividida em cidade alta, onde a cidade nasceu, e cidade baixa.

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário - Cairu - Bahia

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário

Na cidade alta existem alguns prédios com importância histórica, como a Igreja de Nossa Senhora do Rosário (1610) situada numa elevação olhando para o Convento de Cairu.

Do alto descortina-se uma belíssima vista da região.

As casas do entorno, baixas, formam um agradável conjunto.

Não deixe de ver as imagens de Nossa Senhora do Rosário, Nossa Senhora das Dores, São José e São Miguel.

São também muito bonitas as janelas conversadeiras da sacristia feitas de cantaria de arenito.

Há ainda sobrados com dois pavimentos com sótão e, na entrada da cidade, o prédio da antiga prefeitura, possivelmente do final do século XVIII.

Convento de Santo Antônio em Cairu

Convento de Santo Antônio

Erguidos onde existia uma pequena ermida de invocação a Santo Antônio, estão a Igreja e o Convento de Santo Antônio cuja fachada, precedida de cruzeiro de pedra, está voltada para o braço de mar que separa as ilhas de Tinharé e Boipeba.

Do lado esquerdo da Igreja de Santo Antônio ficam as ruínas da capela-mor da Ordem Terceira, que nunca chegou a ser concluída.

O início da construção desse convento, construído pelos Capuchinhos, remonta a 1654 e um conjunto precioso de azulejaria portuguesa do tipo tapeçaria dos séculos XVII e XVIII existe até hoje.

Dos mirantes existentes no primeiro andar descortina-se uma bela vista do mar e do campo.

Centro Histórico da Cidade de Cairu

Centro Histórico

No início do século XVII, os franciscanos que receberam, por doação, “a sesmaria das doze léguas de Camamu”, construíram em Cairu a Residência de São Francisco Xavier (Galeão – 1623) e a Igreja de Santo Inácio.

No início do século XVIII, a exploração das matas passa a rivalizar com a produção de farinha na região.

Cairu era um tradicional fornecedor de farinha para a Capital.

É interessante citar que durante três décadas Cairu contribuiu financeiramente para a reconstrução de Lisboa, arrasada por um grande terremoto em 1756.

Data dessa época o surgimento de quilombos criados por negros fugitivos.

Igreja de São Francisco Xavier - Cairu - Bahia

Igreja de São Francisco Xavier

Em 1870, o corte da madeira era tão intenso e gerava tantos lucros que o governo precisou criar a função de Juiz Corregedor das Matas para deter a exploração predatória descontrolada.

Vinte anos mais tarde, dada à ineficácia dessa medida, a Coroa resolveu tombar o que restava das matas, para estancar a exploração de madeira nas ilhas.

Igreja Nossa Senhora da Luz - Cairu - Bahia

Igreja Nossa Senhora da Luz

A cidade de Cairu é dotada de boa infra-estrutura turística, com hotéis, pousadas, restaurantes e atracadouro para saídas de barcos fretadas para Valença, Boipeba (o percurso demora 40 minutos de lancha ou 2 horas de barco) e outros destinos do Canal de Taperoá.

Orlada por manguezais, Cairu não possui boas praias para banho.

O coco e a piaçava são os elementos básicos do artesanato que, juntamente com a religiosidade, a pesca e a construção naval, é um reflexo do passado vivenciado nessas ilhas. Destacam-se ainda as culturas de cravo-da-índia, pimenta-do-reino e guaraná.

Igreja de São Sebastião em Cairu

Igreja de São Sebastião

Há cerca de 30 anos a ilha foi ligada ao continente por uma ponte.

O folclore local mantém viva a lembrança da ascendência indígena, da escravidão, da presença militar, das lutas em defesa da nação, da saudade de Portugal, Espanha, Holanda e Angola.

Permanecem muito vivas as representações dos congos, taeiras, dondoca, alardo, zambiapunga, chegança, bumba-meu-boi e barquinha cinza.

A cidade é cercada de manguesais e reserva pontos para o mergulho em especial nas Pedras da Benedita, Tatiba e Tatimirim.

A atração mais procurada na cidade é o Morro de São Paulo que é bastante conhecido por possuir belas praias com águas cristalinas. A ilha de Tinharé é um belo cenário com muita beleza e um lindo mar.

Ilha de Cairu

Veja o mapa da Costa do Dendê

Cairu é uma cidade que oferece além de belíssimas paisagens muita cultura, para seus moradores e visitantes, e possui a vantegem de ser um lugar calmo com um povo muito acolhedor.

Temos ainda a região de Boipeba que é uma ilha do arquipélago do Tinharé, no Baixo Sul da Bahia e é considerada como umas das colonizações mais antigas.

A fundação da Aldeia e Resistência de Boipeba aconteceu em 1537, pelos jesuítas.

Sobrado Grande - Cairu

Sobrado Grande

De um lado, a ilha fica banhada pelo oceano, e do outro pelo estuário do Rio do Inferno.

Tem imensa beleza natural e grande diversidade dos ecossistemas. É um dos locais de colonização mais antigas da Bahia.

Esta ilha tem mais de 20 km de praias desertas, com mar azul e piscinas naturais.

Quem vai a Boipeba se dispõe a andar descalço e trocar mordomias pela proximidade com a natureza. O principal vilarejo é Velha Boipeba, na Boca da Barra.

O ecossistema da ilha engloba as mais variadas formações; sendo composto por floresta densa da Mata Atlântica,

restinga, dunas, manguezais e praias paradisíacas com coqueirais e recifes. Esses recifes se estendem pela costa, tornando as praias abrigadas das ondas e correntes.

Sua flora e fauna são ricas de uma grande variedade de corais, algas, peixes, moluscos, ouriços, estrelas e outros.

Além disso, pode-se constatar a existência de tartarugas marinhas na região, as quais desovam em diversas praias da ilha.

A atividade econômica predominante na ilha é a pesca, além dos peixes, são capturados e comercializados o caranguejo, o siri, a lambreta, o guaiamu e principalmente o camarão.

Os cultivos agrícolas que se destacam na Ilha são o coco e o dendê. O turismo, enquanto atividade econômica é muito recente na Ilha.

Os únicos acessos para este paraíso são marítimo ou fluvial, por isso a tranqüilidade, o sossego e conservação ambiental da área, provoca a motivação do turismo ecológico, neste local de quilômetros de praias desertas, piscina em alto mar e muita natureza.

As suas praias paradisíacas são conhecidas em todo o Brasil, sendo uma das suas principais a Boca da Barra, onde possui uma estrutura hoteleira grande e fica perto do Vilarejo de Velha Boipeba.

Um dos passeios inesquecíveis da ilha é até a praia Tassimirim e Coeira, a única da ilha com algumas ondas. Por tantas belezas naturais, o turismo só tende a crescer.

Bahia.ws é o maior guia de turismo e viagem da Bahia e Salvador.

Guia de Turismo e Viagem de Cairu na Bahia

 
 

Deixe uma resposta

 
 
 
%d blogueiros gostam disto: