Home / Nordeste Guia Turismo / Pernambuco / Recife / Igreja de Santa Teresa D’Ávila da Terceira Ordem do Carmo 

 
Igreja de Santa Teresa D'Ávila da Terceira Ordem do Carmo

Teto da Igreja de Santa Teresa D’Ávila da Terceira Ordem do Carmo

A Igreja de Santa Teresa D’Ávila está localizada no Pátio do Carmo faz parte do Recife Sagrado, bem ao lado da Basílica homônima.

Ao lado da Basílica no Carmo, encontramos uma bela igreja, cujo projeto arquitetônico do frontão lembra a mesma Basílica, é a Igreja de Santa Tereza da Ordem Terceira do Carmo – Construída entre 1700 e 1837. Uma das mais belas igrejas barrocas pernambucanas.

Ofuscada pela sua vizinha famosa e escondida no final de um corredor de belas palmeiras, ela infelizmente passa desapercebida pela maioria dos transeuntes que circulam apressadamente pelo centro do Recife.

A obra de construção da Igreja de Santa Teresa D’Ávila da Terceira Ordem do Carmo foi concluída em 1710 (consagrada apenas em 1835) após dez anos de iniciada.

Se compararmos com os oitenta anos da Basílica do Carmo, podemos afirmar que a ela demorou bem pouco tempo para ficar pronta. Isso só aconteceu graças à disposição dos membros da Ordem Terceira do Carmo para gastar todos os recursos necessários para erguê-la no menor tempo possível e com o máximo de luxo.

Vale ressaltar que eles eram comerciantes, senhores de engenho etc.

A Ordem Terceira do Carmo é composta até os dias de hoje por leigos, ou seja, pessoas que não fazem parte do sacerdócio (não há freiras nem frades).

 

Sua padroeira, Santa Teresa D’Ávila (ou Santa Teresa de Jesus), nasceu na província de Ávila, Reino de Castela (Espanha), e viveu entre os anos de 1515 e 1582.

Ela teve uma vida de dedicação exemplar à oração, exerceu um papel fundamental na reforma da Ordem do Carmo e foi uma das escritoras mais notáveis sobre os temas ligados à igreja.

Dotada de um exímio talento, ela descreveu suas próprias experiências pessoais para explicar os quatro degraus da oração: o recolhimento, a quietação, a união e o arrebatamento.

Apesar de tamanha dedicação, Santa Teresa D’Ávila foi perseguida pela Inquisição da Igreja Católica pela forma de expressar suas ideias e por falar do “orgasmo espiritual” em seus escritos. Há indícios que ela não foi morta devido à forte influência do seu pai perante o rei.

Visitar a Igreja de Santa Tereza D’Ávila da Ordem Terceira do Carmo (eita nome comprido!) nos dá a oportunidade de conhecer o maior acervo de pinturas em homenagem à santa no mundo. Como as demais igrejas desta época, seu estilo arquitetônico é o barroco em sua fase final (cheio do rebuscamento característico do rococó).

As pinturas da nave da Igreja de Santa Teresa D’Ávila da Terceira Ordem do Carmo são de autoria de João de Deus Sepúlveda (século XVIII), enquanto que as da entrada são do escravo alforriado pernambucano Manoel de Jesus Pinto. Não era permitido que a igreja fosse frequentada por negros.

A nave da igreja abriga também um raro lustre de cristal, mas seu maior destaque são quadros dispostos no teto da igreja. Há algumas raridades, como uma pintura da Santa em trajes íntimos (para a época, é claro) e outras duas do “coisa ruim”. Topa procurar?

Os altares laterais representam seis passos da Paixão de Cristo. Há um detalhe importante na técnica de douração. Diferentemente da Capela Dourada, onde foi utilizada a aplicação de folhas de ouro, aqui eles “sopraram” pó de ouro sobre a tinta fresca.

O Altar-mor exibe ao centro a imagens de Jesus Cristo e Nossa Senhora do Carmo, do lado direito São José “de botas” (raridade) e a padroeira Santa Teresa à esquerda.

Você percebeu algo diferente na imagem de Jesus? Ele está com a cabeça para a direita e com as feições bastante sofridas em seu último momento de vida. Só há duas imagens retratadas desta forma no mundo (a outra está em Ouro Preto).

Os nichos laterais apresentam as imagens de São Elias, pai espiritual de todos os Carmelitas, e seu seguidor São Eliseu. É difícil distingir as duas imagens devido à semelhança (São Elias é a da esquerda bem ao lado de Jesus). As imagens menores na parte mais baixa são de João Paulo II e Santa Terezinha.

O lado esquerdo do altar apresenta uma pintura com uma das passagens mais importantes da sua vida: a transverberação do coração de Santa Teresa.

A sacristia da Igreja de Santa Teresa D’Ávila da Terceira Ordem do Carmo está fechada para visitações, mas vale à pena você insistir para conhecê-la. Além dos móveis coloniais do século XVIII, há belas imagens de Santa Teresa de Jesus, Nossa Senhora da Soledade e São José (da esquerda pra direita) …… e a reprodução das passagens mais importantes da vida de Santa Teresa D’Ávila.

Pra terminar, a área ao lado da igreja é ocupada por túmulos de membros importantes da Ordem Terceira do Carmo, como o do Barão de Casa Forte e outros.

Guia de Turismo e Viagem de Recife, Pernambuco e Nordeste

Turismo Religioso e Recife Sagrado

Bahia Guia de Turismo

 
 

Deixe uma resposta

 
 
 
%d blogueiros gostam disto: