Catas Altas MG – História e Atrações Turísticas

Este post também está disponível em: Português English

Catas Altas é uma graciosa cidade colonial surgiu como povoado em 1712.

A 110 quilômetros de Belo Horizonte, pela-MG-129 e a BR-381, faz divisa com Santa Bárbara, Mariana e Alvinópolis.

Fincada aos pés da cadeia montanhosa do Caraça, especialmente o pico de Catas Altas, de 1820 metros de altitude, apresenta construções baixas e calçamento de pedras no centro.

igreja matriz de Nossa Senhora da Conceição em Catas Altas
igreja matriz de Nossa Senhora da Conceição em Catas Altas

A igreja matriz de Nossa Senhora da Conceição (praça Monsenhor Mendes, s/n), tombada pelo poder federal, guarda a escultura do Cristo Crucificado de Aleijadinho.

Voltada para a cadeia de-montanhas, de seu adro tem-se bela visão panorâmica.

Outra construção religiosa relevante e a pequena capela Santa Quitéria (praça de Santa Quitéria, com interior barroco em estilo joanino.

capela Santa Quitéria em Catas Altas
capela Santa Quitéria em Catas Altas

 Catas Altas é-conhecida pela produção de licores, doces e vinho de jabuticaba.

No fim da primeira quinzena de maio, os-produtores se reúnem em frente à-matriz para a Festa do Vinho.

Cidade de Catas Altas MG
Cidade de Catas Altas MG

Catas Altas

História

Situada aos pés da Serra do Caraça e resguardados pelo contraforte da serra do espinhaço, a formação do povoado que deu origem ao atual município começou a ocorrer no final do século XVII por volta de 1694 com a descoberta de ricas minas auríferas mais tardes denominadas de Catas Altas.

Atribui-se a Domingos Borges a fundação do arraial em 1703.

A história de Catas Altas, assim como de diversas cidades mineiras, está relacionada com o ciclo da mineração no século XVIII.

O nome “Catas Altas” provém das profundas escavações que se faziam no alto dos morros. 

Cidade de Catas Altas MG
Cidade de Catas Altas MG

A palavra “catas” significa garimpo, escavação mais ou menos profunda, conforme a natureza do terreno para a mineração.

No povoado, as catas, os garimpos, as minas mais ricas e produtivas, estavam situadas nas partes mais altas, no alto da serra e por isso, a atual cidade ficou conhecida como Catas Altas.

Com o esgotamento das minas o arraial ficou praticamente abandonado.

Em 1868, chega em Catas Altas o Monsenhor Manuel Mendes Pereira de Vasconcelos para ser o vigário do arraial.

O padre nota a ausência de qualquer forma de cultura de subsistência.

Ele ensina ao povo como plantar as videiras, as épocas das podas, das colheitas, como esmagar as uvas, o período de fermentação, o armazenamento adequado para não acontecer nenhuma alteração.

E assim, o vigário conseguiu que a produção do vinho de Catas Altas aumentasse cada vez mais, sempre com melhor qualidade.

Entre 1839 e 1995, Catas Altas pertenceu ao município de Santa Bárbara emancipando-se através da lei nº12. 030, de 21 de dezembro de 1995.

Catas Altas MG - História e Atrações Turísticas

Atrações  Turísticas

  • Passear pelo Centro Histórico de Catas Altas
  • Visitar e Hospedar no Santuário do Caraça
  • Visitar a Capela de Santa Quitéria e a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição
  • Conhecer as belas cachoeiras da região como a Cachoeira do Maquiné, Castatinha, Cascatona e Cachoeira da Santa
  • Ecoturismo

Ecoturismo

Catas Altas tem cachoeiras e pontos para escalada.

A trilha Parque Estrada Real começa a 2 quilômetros do centro.

Constitui-se de um trecho de estrada de terra de 5,7 quilômetros sobreposto à antiga Estrada Real, que no século XVIII ligava a cidade a Mariana.

O percurso pode ser feito a pé ou de bicicleta e margeia trilhos da-antiga ferrovia Centro Atlântica, que parte de Belo Horizonte e vai até Vitória.

Do fim da trilha Parque Estrada são apenas 500 metros até a cachoeira da Santa, com queda de 12 metros e poço raso, ideal para crianças.

A puxada trilha do pico de Catas Altas, a 4,5 quilômetros do centro, requer guia: composta de ubidas, revela cachoeiras e ribeirões pelo caminho.

Uma trilha de cerca de 30 minutos leva à parte alta da cachoeira Maquiné, a 3 quilômetros do centro, com 14 metros de queda, poço para banho e duchas naturais.

O balneário Morro de Água Quente (acesso pela MG-129 para Mariana, km 97, a 6 quilômetros do centro de Catas Altas), com piscinas naturais com águas termais a 28°C, é o ponto de partida de uma trilha de aproximadamente 1 quilômetro ao longo do córrego do Mosquito, onde se encontram antigos pilões de pedra, caixas d’água do mesmo material e um poço de água quente.

Aqueduto Bicame de Pedra em Catas Altas - MG
Aqueduto Bicame de Pedra em Catas Altas – MG

O aqueduto Bicame de Pedra, de 1792, foi erguido por escravos para captar água da serra do Caraça e lavar o ouro. Situa-se a 10 quilômetros do centro, dois deles em terra (pela MG-129 para Santa Bárbara).

O monumento foi construído usando técnicas inspiradas da arte romana, sem necessidade de cimento ou argamassa. No arco do portal é possível observar que as pedras de quartzitos foram colocadas de modo a que umas travem as outras.

Atualmente, restam apenas 200 metros da muralha de pedras secas, que tem no seu ponto mais alto, cerca de 5,10 metros de altura.

Dali, 1,5 quilômetro de caminhada permite chegar à trilha que conduz ao transparente córrego do Quebra Ossos, rodeado por prainhas de areia branca.

O pico do Baiano (a 6 quilômetros do centro pela Estrada Real) – um dos mais famosos entre os praticantes de escalada -, tem 2016 metros de altitude, com 850 metros de vias com grampos fixos de segurança. Quem leva: Associação dos Condutores de Turismo de Catas Alfas (praça Monsenhor Mendes, 362).

Comments are closed.

Hide picture