Flor Sempre-Viva é típica da Chapada Diamantina vira símbolo de preservação

Flor sempre-viva
Flor sempre-viva

A flor Sempre-Viva é muito usada como flor-de-corte na confecção de arranjos florais frescos ou secos e é tipica da Chapada Diamantina.

O Parque Municipal Projeto Sempre-Viva em Mucugê protege inúmeras espécies da fauna e flora local além de ter como objetivo principal a recomposição e a implantação da tecnologia de cultivo, manejo e comercialização da flor sempre-viva (planta ornamental).

Parque Municipal de Mucugê é gerenciado pelo município de Mucugê, em convênio com o Estado da Bahia e com o Departamento de Desenvolvimento Florestal da Universidade Católica de Salvador,BA.

No km 92 da BA-142 fica a sede do Projeto Sempre-Viva criado para preservar a flor sempre-viva típica da Chapada Diamantina, ameaçada de extinção. A visita inclui o laboratório de pesquisas e a trilha às cachoeiras do Piabinha e do Tiburtino.

Com a sede encravada nas pedras, o parque situa-se próximo a Mucugê e pode ser acessado por asfalto. Paga-se uma pequena taxa para visitar as instalações de pesquisa, as cachoeiras e trilhas.

Em Mucugê, foram descobertos os primeiros diamantes da Chapada Diamantina, em 1844. Uma de suas atrações mais interessantes é o único cemitério de estilo bizantino do Brasil, que chama a atenção de quem chega à cidade.

O cemitério de estilo bizantino é composto por jazidas em forma de igreja, todas pintadas de branco, que lembram o estilo arquitetônico neogótico de meados do século XVIII.

Mucugê também e tombada como patrimônio nacional pelo Instituto Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e foi construída nas margens da Serra do Sincorá.

Flor sempre-viva
Flor sempre-viva

Mucugê rodeada por montanhas, a temperatura média na cidade é de 19˚C.

O seu principal destaque é o Parque Municipal de Mucugê, onde está localizado o Parque Sempre-Viva, projeto bem-sucedido de educação e preservação ambiental, além do Museu Vivo do Garimpo.

É também um município privilegiado, já que 52% do seu território são cobertos pelo Parque Nacional da Chapada Diamantina. As principais atrações culturais da cidade são os festejos de São João, o Festival de Chorinho e o Vozes na Chapada.

Projeto Sempre-Viva

O Projeto Sempre-Viva oferece uma experiência de imersão no Parque Municipal de Mucugê, com laboratório para pesquisas direcionadas ao estudo da flora local, principalmente da Sempre Viva, flor endêmica da região.

Passando por lugares históricos revelando a cultura do tempo do garimpo de diamantes, além de atrativos naturais como trilhas e cachoeiras..

Parque Sempre-Viva é um passeio tranquilo, com trilhas fáceis e pertinho de Mucugê. Aqui você vai conhecer a Cachoeira Piabinha e Tirbutino, exposições sobre a Sempre Viva e o garimpo.

Museu do Garimpo

O Museu do Garimpo no Projeto Sempre-Viva conta o começo da exploração do diamante, os métodos aplicados, a utilização do diamante e o declínio da atividade. Bem como, a formação de muitas vilas e cidades da Chapada Diamantina, entre elas, Mucugê.

No km 92 da BA-142 fica a sede do Projeto Sempre-Viva e ali fica uma parte do Museu Vivo do Garimpo, a  outra parte, no km 93,5, é uma “toca”, antiga moradia de garimpeiros, com exposição de objetos e réplica do maior diamante encontrado no mundo.

É aberta ao turismo das 08h00 às 17h00 e os visitantes podem desfrutar das cachoeiras da Piabinha e Tiburtino, no rio Cumbuca, o que primeiro deu diamante no século XIX.

Museu Vivo do Garimpo, em Mucugê
Museu Vivo do Garimpo, em Mucugê

Mapa das Trilhas e Pontos Turísticos da Chapada Diamantina

Cachoeiras no Projeto Sempre Viva

Depois de conhecimento sobre a história do Projeto e do Garimpo podemos ir para uma trilha que não é guiada, e sim, feita pelo próprio visitante, mas é fácil e rápida, leva uns 20 minutos.

Primeiro avistamos a Cachoeira da Piabinhas e por fim a Cachoeira Tiburtino

Cachoeira Tiburtino em Mucugê
Cachoeira Tiburtino em Mucugê
Cachoeira da Piabinhas em Mucugê
Cachoeira da Piabinhas em Mucugê

Vídeos sobre o Projeto Sempre-Viva

Cultivo da Flor Sempre-Viva

A flor Sempre-Viva (Helichrysum bracteatum) é uma planta herbácea anual, que cresce de 0,7 a 1,2 m de altura, e folhas bastante delicadas. Suas flores são pequenas, mas bastante chamativas. Formadas na primavera, suas folhas são extremamente duráveis.

Não são comumente cultivadas em vasos devido à alta necessidade de sol direto. Quando plantadas em jardins, são usadas em conjuntos isolados ou renques.

Flor-sempre-viva
Flor-sempre-viva

Em alguns países, como nos Estados Unidos, os botões da flor Sempre-Viva são colhidos quando ainda não abertos e são secados pendurados de cabeça para baixo. Suas flores secas ficam muito bonitas, e dão um toque campestre aos ambientes.

A flor Sempre-Viva é muito usada como flor-de-corte na confecção de arranjos florais frescos ou secos.

É tolerante a temperaturas mais baixas, mas pode também ser cultivada em climas mais quentes.

Como cultivar a flor Sempre-Viva

A Flor Sempre-viva cresce bem quando plantadas em sol pleno. Cultivada em jardins em pleno sol, formando conjuntos isolados ou renques, em canteiros com terra bem preparada, enriquecida com húmus, e com boa drenagem.

Regue bem a terra quando os primeiros 5 cm de profundidade do solo ficarem secos. As plantas toleram muito bem períodos secos, mas ficam melhor quando o solo está muito seco.

Como reproduzir

A Flor Sempre-Viva é multiplicada por sementes, que são geralmente semeadas no inverno e primavera.

Flor Sempre-Viva é típica da Chapada Diamantina vira símbolo de preservação

Guia de Turismo e Viagem de Mucugê na Chapada Diamantina

Cultivo da Flor Sempre-Viva

One Comment

  1. Pingback: Chapada Diamantina - Principais Pontos Turísticos e Dicas - vídeos

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

dezenove − 1 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Hide picture