Andaraí que é a segunda principal cidade da Chapada Diamantina

Andarai na Chapada Diamantina
Andarai na Chapada Diamantina

Andaraí é abundante em atrativos, o município fica na região central do Parque Nacional.

Andaraí está entre as cidades que encontraram o apogeu econômico e populacional durante o ciclo diamantífero.

Abundante em atrativos, o município fica na região central do Parque Nacional.

Andaraí está entre as cidades que encontraram o apogeu econômico e populacional durante o ciclo diamantífero.

Seu casario preservado no centro histórico remete aos tempos áureos do século XIX.

Instalada às margens do Rio Paraguaçu, a cidade possui muitos cursos d’água, o que lhe dá a alcunhade Reduto das Águas. No município encontram-se quatro das dez maiores cachoeiras da região: Cristais, com 110 metros, Herculano e Samuel, com 100 metros e Ramalho, com 90 metros.

Sua localização estratégica dá acesso a diversos atrativos naturais dos municípios do entorno, como Mucugê, Ibicoara, Nova Redenção e Itaetê. O povoado de Igatu, o Pantanal Marimbus, as piscinas do Rio Roncador, as diversas cachoeiras e grutas são alguns dos pontos turísticos locais.

O município resguarda cinco Unidades de Conservação (UCs), que abrigam incontáveis atrativos naturais: PNDC, Parque Urbano de Igatu, APA Marimbus-Iraquara, Reserva Natural da Manga do Céu e Parque Natural Municipal Rota das Cachoeiras.

Andaraí atraí praticantes de esportes radicais e visitantes que não se importam em enfrentar obstáculos naturais para conseguir boas fotos e curtir paisagens.

Salvador, 464 km e Lençóis, 76 km.

Andaraí é um município do estado da Bahia e é uma das cidades mais conhecidas da Chapada Diamantina para o turismo por estar localizada em uma posição estratégica para visitar atrações mais distantes de Lençóis.

De Andaraí você pode conhecer o Poço Azul, Poço Encantado, Cachoeira do Roncador, Pantanal Marimbus, Gruta Lapa do Bode, Gruta da Paixão, Gruta da Marota, as atrações da cidade de Igatu e Mucugê.

Seu nome, que significa “rio dos morcegos”, foi dado pelos índios cariris que habitavam o local quando os primeiros aventureiros chegaram à procura de metais e pedras preciosas.

O lugar só começou adquirir feições de povoado a partir de 1845, quando o Capitão Joaquim de Figueiredo veio de Minas Gerais para ali se estabelecer com a família e procurar os tais diamantes que “brotavam da terra”.

Veja o mapa Chapada Diamantina

Atualmente, Andaraí vive da agropecuária e do turismo.

Quem não estiver disposto a enfrentar trilhas e escaladas pode optar por visitar Marimbus. a Vila do Remanso, o Recanto das Orquídeas e a Vila de Xique-Xique de Igatu.

Vídeo sobre Andaraí

Pontos Turísticos de Andaraí e arredores

Andaraí dá acesso estratégico a diversos atrativos naturais dos municípios do entorno, como Mucugê, Ibicoara, Nova Redenção e Itaetê. O povoado de Igatu, o Pantanal Marimbus, as piscinas do Rio Roncador, as diversas cachoeiras e grutas são alguns dos pontos turísticos locais.

1. Poço Azul

Formado por duas cavernas e por um lago de águas tão cristalinas que se vêem as formações rochosas no fundo o poço é habitat do bagre Albino.

Poço Azul - Chapada Diamantina
Poço Azul

Poço Encantado

Este lugar, que recebe mais de 7.000 visitantes por ano, é um dos pontos imperdíveis da Chapada.

entro de uma gruta há uma lagoa de 60m de profundidade e 98m de extensão, de águas transparentes, às quais o calcário confere uma cor azulada. De junho a agosto, o sol penetra por uma fenda ressaltando a beleza do lugar.

2. Gruta da Paixão

Formada por vários salões repletos de estalactites e estalagmites. Somente 3 km de trilhas são abertos à visitação, sempre com o acompanhamento de um guia.

3. Gruta da Marota

Gruta da Marota fica na localidade de Ubiraitá, no município de Andaraí, dentro de uma propriedade particular.

De fora é possível ver um paredão de 70 metros de altura e em sua base uma fenda que leva a um mundo

Gruta da Paixão - Chapada Diamantina
Gruta da Paixão

subterrâneo pouco explorado e ainda não totalmente mapeado pelos nativos. Ninguém conseguiu percorrer toda a gruta.

O local está repleto de formações calcárias, com pedras ardósias, estalactites e estalagmites. São galerias naturais formada pelo tempo que nos períodos de chuva tem sua paisagem modificada pelo movimento das águas.

4. Marimbus

Marimbus é um verdadeira pantanal no coração da Bahia, formado provavelmente pela ação dos drenas do garimpo, que resultou numa grande planície com lagoas interligadas.

Aliás, seu nome, de origem africana, significa “terras alagadas”. Considerada o “Pantanal da Chapada”, a região abriga fauna típica pantaneira e amazônica, como o tucunaré, jacarés e grande variedade de pássaros. Exemplares da flora amazônica, como a vitória régia, são encontrados ali.

Os passeios pelas lagoas em barcos infláveis conduzidos por remadores profissionais são experiências relaxantes. Mergulhar nessa águas, nem tanto, pois seria meio estressante nadar entre jacarés.

5. Olho d’Agua

Poço de águas cristalinas em parte cobertas por vitórias régias, com uma gruta no fundo. Quem gosta de mergulhar pode explorá-la e observar a infinidade de peixes que ali existem.

6. Fazenda do Roncador

A fazenda às margens do rio Roncador tem ótimas cachoeiras. Em seu restaurante, o cardápio inclui comida típica

Marimbus - Chapada Diamantina
Marimbus

dos quilombos: puré de caroço de jaca (haja exotismo!), mamão verde salgado, o velho e arroz com feijão, macaxeira e carne de sol.

Enquanto o almoço é preparado, os visitantes podem se refrescar nas cachoeiras, nas piscinas naturais e escorregar nas pedras lisas e rosadas. Depois do almoço. as redes são armadas embaixo das árvores para descanso. Quer ficar mais? Fale com o administrador que ele arranja um quartinho na casa para quem quiser passar a noite.

7. Igatu na Chapada Diamantina

Para chegar a Xique-Xique de Igatu, percorre-se, serra acima, uma estradinha ladeada de flores, de onde se pode usufruir um visual incomum.

Nessa vila, que foi uma das capitais do garimpo, tudo é feito de pedras: o calçamento das ruas, as cercas e até os telhados das casas, que aproveitam as cavidades das rochas.

Por isso, Igatu é conhecida como a Machu Picchu brasileira”.

A área em que moravam os garimpeiros no século XIX, hoje desabitada e em ruínas, é uma interessante “cidade fantasma”.

Na vila, a casa de Dona Alzira, antiga residência da única garimpeira de Igatu, que conserva utensilios de garimpo e móveis de época. é um lugar a ser visitado.

Igatu - Chapada Diamantina
Igatu

8. Galeria Arte e Memória de Igatu

A Galeria Arte e Memória de Igatu, por sua vez, exibe ferramentas usadas no garimpo manual, documentos, fotos antigas das minas e algumas amostras de diamantes carbonatos. Uma idéia é pernoitar na vila, que embora seja bem pequena, conta com pousadas, para interagir com os habitantes locais e ouvir suas histórias.

Bahia.ws é o maior guia de turismo e viagem da Bahia e Salvador.

Guia de Turismo e Viagem de Andaraí na Chapada Diamantina

Hide picture