Conde é a região mais interessante do litoral norte da Bahia

Barra do Itariri em Conde - Bahia
Barra do Itariri

O município de Conde na Costa dos Coqueiros é muito procurada na temporada, tem intensa movimentação noturna na parte conhecida como Sítio do Conde.

Conde tem as águas mais calmas da Linha Verde. No entanto, é um dos destinos mais distante de Salvador – a 157km.

A Linha Verde, na Bahia, tem inúmeros encantos, alguns mais famosos do que os outros. Muitos turistas que visitam o estado colocam no roteiro locais como Praia do Forte e Costa do Sauípe, mas a região possui outros encantos, como é o caso do Conde.

O município abriga o Sítio do Conde e possui ao todo dez pequenas praias.

A região uma das mais interessantes do litoral norte da Bahia – mistura 40 km de praias (boas para camping selvagem), dunas, coqueiros, manguezais, rios e lagoas, constituindo-se num refúgio ecológico (algumas pessoas a chamam de “O Pantanal Baiano”, apesar de uma área perto de Itaparica também receber essa designação).

Vale a pena fazer um passeio de barco pelo Rio Itapicuru, cercado de imensos manguezais.

Vídeos sobre Conde BA

O que fazer no município do Conde

1. Sítio do Conde

A 6km do centro do Conde, o Sítio do Conde tem uma praia extensa faixa de areia e mar calmo. Há opções de pousadas e restaurantes no local.

2. Cavalo Russo

Mapa da Costa dos Coqueiros
Mapa da Costa dos Coqueiros

A  duna de aproximadamente 20m permite que se escorregue sobre uma prancha desde o topo até as águas avermelhadas do rio. Para chegar até a à duna, pegue um barco em Poças – o trajeto dura cerca de 45 minutos – ou em Siribinha, em apenas 10 minutos.

3. Siribinha

O povoado fica 16km do Sítio do Conde, por uma estrada de terra. Está localizado na foz do Rio Itapicuru e é cercado por dunas e coqueirais.

Na Barra de Siribinha foram rodadas cenas do filme Tieta do Agreste, inspirado no romance de Jorge Amado. 

Há opção de passeios de bugre pelas dunas e de barco pelo Rio Itapicuru. A praia do local possui mar calmo.

4. Barra do Itariri

Há 13km do Sítio do Conde,  é uma das mais belas paisagens do litoral baiano. Fica localizada na na foz do Rio Itariri, com coqueirais e áreas de mangue.

Mapa de Conde BA
Mapa de Conde BA

Na maré baixa, formam-se bancos de areia que permitem atravessar o canal e caminhar até as dunas. A praia é tranquila.

5. Praias do Conde BA

As praias do Conde costumam ser regadas de muito verde presente em toda a Costa dos Coqueiros, águas claras, areia fina e branquinha, lagoas e rica vegetação de manguezal, acompanhada pelo Rio Itapicuru e Rio Itariri que corre na região.

6. Barra do Itapicuru

Na foz do rio, tem areia clara e fina – com muitas conchas – , ondas fortes e coqueiros. É boa para a pesca de linha (bagre, barbudo).

rio Itapicuru em Conde
rio Itapicuru

Vale a pena conhecer o Cavalo Russo, no Rio Pirangi (afluente do Itapicuru). Trata-se de um local onde o rio apresenta excelentes espaços para banho e é cercado por dunas de areia muito brancas.

Vá de tênis ou de sandálias, pois a areia queima muito sob o sol. A melhor opção é alugar um barco para conhecer toda essa área. Acesso pela Linha Verde a partir de Conde, via Sítio (45′).

7. Praia de Siribinha

A 12 km de Sítio, é uma praia extensa, reta, de ondas fortes e areia clara, com muitos coqueiros.

Praia da Siribinha em Conde BA
Praia da Siribinha em Conde BA

Tem casas rústicas fincadas na areia. Uma estrada bonita e traiçoeira leva a ela (até Poças acompanha a orla e depois entra por um coqueiral). Daqui pode-se ir a pé, pela praia, até a Barra do Itapicuru (2 km).

8. Praia das Poças

Tem características semelhantes às outras da região: areia clara, ondas fortes, coqueiros.

Praia das Poças em Conde BA
Praia das Poças em Conde BA

Possui um povoado de pescadores e é o único porto natural para pequenos barcos na região. Lá podem ser alugados barcos ou canoas motorizadas para passeios turísticos.

9. Praia Sítio do Conde

Uma barreira de recifes forma piscinas naturais na maré baixa. Reta, de ondas fortes, areia branca e solta – com vários caramujos – e coqueiros.

Praia Sítio do Conde
Praia Sítio do Conde

Possui um pequeno povoado, cujos habitantes se dedicam à pesca, à extração do coco e à agricultura de subsistência. A pesca inclui camarão, lagosta, badejo, olho-de-boi, vermelho e arraia. Tem hotel, pousadas e restaurantes.

10. Praia Barra do ltariri

Fica a 16 km de Sítio (por estrada de terra com bolsões de areia).

Praia Barra do ltariri em Conde BA
Praia Barra do ltariri em Conde BA

Ou a 9 km a partir da Linha Verde (por estrada precária, 18 km antes do entroncamento para o Conde). Reta, com areia clara e fina, dunas e coqueiros.

Tem um povoado, com casas de pescadores e algumas de veranistas.

Há bares e barracas, principalmente na temporada. Antes de se encontrar com o mar, o Rio ltariri faz uma graciosa curva, deixando em destaque uma duna com coqueiros, isolada pelas águas, como se fosse um monumento.

No caminho para a Praia do Sítio existem córregos bons para banhos de água doce.

11. Praia dos Artistas ou do Corre Nu

O mar na Praia dos Artistas é morno e relaxante com dunas e coqueiros que tornam a paisagem mais atraente.

Praia dos Artistas ou do Corre Nu em Conde BA
Praia dos Artistas ou do Corre Nu

Alguns condomínios e sítios particulares ao redor, além de quiosques trazem infraestrutura à região. Fica a 3 km da vila.

História do município de Conde

Era uma vez, o município de Conde que era habitado pelos bravos guerreiros tupinambás. Um dia, quando ali governava Mem de Sá, os padres jesuítas chegaram com a missão de catequizar os bravos que ali viviam.

Os padres jesuítas começaram então, a ministrar os mandamentos do princípio cristão pacificando bravos índios tupinambás.

As vastas terras onde os jesuítas e os bravos índios se encontravam só foram adquiridas pelos Jesuítas no ano de 1621, por meio de arrendamento perpétuo e por consentimento de Garcia d’Ávila, que precisamente no ano de 1650 as doou em testamento.

Quando isso aconteceu os valentes índios de tribos vizinhas, foram ali morar, vivendo sob a orientação dos padres.

Os colonos portugueses seduzidos pela fecundidade dessas terras resolveram se estabelecer na região dedicando-se às culturas da cana-de-açúcar e do fumo e à criação de gado. Diversos engenhos de açúcar foram então erguidos.

Com o crescimento do processo de povoamento e exploração desse território a pequena aldeia dos índios tupinambás, mais tarde, foi transformada em um povoado, que se chamou Itapicuru de Baixo.

Foi no ano de 1702, que o povoado foi elevado à freguesia recebendo então o nome de Nossa Senhora do Monte de Itapicuru da Praia.

Em 17 de dezembro de 1806, através de requerimento assinado pelo povo, foi elevada a Vila pelo ouvidor Navarro, com a denominação de Conde, em cumprimento à ordem do “Conde dos Arcos” de cujo título surgiu a denominação.

Assim, o município da Vila do Conde teve os seus órgãos competentes criados e passou por diversas fases de desenvolvimento alcançando a República e aderindo a ela.

Até 1912, a sede da Vila e município permaneceu no mesmo local de sua criação. Porém, uma enorme enchente do rio Itapicuru que corta até hoje a cidade, destruiu e devastou a sua economia.

Em 10 de junho do mesmo ano, a sede do município, por força da Lei Estadual Nº 889 foi transferida para o Arraial de Esplanada.

Passaram-se alguns anos e o povo do Conde tomou consciência do absurdo dessa submissão, visto que a frente econômica maior era do Conde e Esplanada usufruiu de todos os direitos.

Depois de muita luta e até mesmo levante que resultou na morte do condense Minervino do Carmo, o município de Conde foi considerado como território desmembrado e livre de Esplanada.

Quando o Conde era subordinado a Esplanada o seu primeiro Intendente foi o Coronel Joaquim Macêdo (Quimquim) ceceado em Esplanada.

O Dr. Alcides Brito queria se reeleger mais não admitia a independência de Conde.

O movimento emancipacionista cresceu através de figuras como o Sr. Lamberto Pinto que se incumbira de preparar o documento oficial. Outro líder importante foi o alfaiate Minervino do Carmo que junto a Rodolfo Lins, da histórica fazenda São Bento, Antônio Castro, Alímpio Costa, Euclides Valença, entre outros, conseguiram tornar o Conde livre.

Na ocasião o governador da Bahia, Juraci Magalhães, por intermédio do jornalista e deputado Dr. Altamirando Requião, nomeou Hermógenes Gomes Nascimento como primeiro prefeito de Conde. Daí então o fato do Sr. Alcides Brito, contragosto, ter sido obrigado a confirmar a emancipação e com a morte de Minervino do Carmo, o Conde foi desmembrado de Esplanada em 10 de Agosto de 1935.

O município está localizado no Litoral Norte da Bahia e é banhado em toda a sua extensão pelo Oceano Atlântico. O Conde limita-se ao Norte com Jandaíra e Rio Real;  ao Sul, com o Rio Inhambupe; ao Leste com o Oceano Atlântico e ao Oeste com Esplanada.

A cidade tem uma distância de Salvador, em linha reta, de 151Km e pela BR-101 de 203Km. A população atual é de aproximadamente de 25 714 habitantes (IBGE/2013) e sua base econômica principal é o turismo, a cultura do côco da Bahia e a pecuária.

Do alto da Vila do Conde, bairro mais antigo da região, observa-se uma vista panorâmica.

E no ponto mais alto encontra-se o Alto do Cruzeiro, dizem os moradores mais antigos, que a Igreja Nossa Senhora do Monte recebeu uma imagem de Nossa Senhora, que foi posta no altar da Igreja.

No dia seguinte verificou-se que a imagem não estava mais lá, e diante de tanta procura foi localizada em um monte em cima da copa de uma árvore, próximo à igreja. Levou-se a Santa de volta para a igreja e novamente ela apareceu no mesmo lugar. Diante dos acontecimentos, fez-se uma Capela para a Santa, lá no intitulado Alto do Cruzeiro.

O alto do Cruzeiro recebe visitas diariamente de moradores da localidade e principalmente na alta temporada. Contam que próximo à raiz da àrvore, há um bojo que contém uma água milagrosa, e que permanece cheia durante todo o ano, ela nunca seca, as pessoas com enfermidades recorrem a ela para obter cura.

Diversos são os pedidos que são feitos e atendidos pela Santa, em agradecimento os fiéis levam próteses, acendem velas e fazem muitas orações.

Como chegar no Conde

O acesso ao Município é feito pelas vias BA-233, BR-101, BA-093, BA-324, BA-099 e pela Linha Verde, uma estrada de 142km que liga o Estado da Bahia ao de Sergipe pelo litoral.

Conde é ainda servido por três linhas regulares de ônibus diariamente.

A cidade está a 179km do Aeroporto Internacional de Salvador e a 150km de Aracaju, capittal de Sergipe.

Bahia.ws é o maior guia de turismo e viagem da Bahia e Salvador

One Comment

  1. Pingback: Costa dos Coqueiros é a exuberante Linha Verde - vídeo

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Hide picture