Home / Nordeste Guia Turismo / Rio Grande do Norte / Sertão e Seridó / O Seridó do RN tem beleza singular da paisagem do semi-árido e rica cultura

 

Sertão RN

O Seridó do Rio Grande do Norte constitui uma importante região natural do semi-árido nordestino, figurando com particular importância ao lado de regiões que integram a região seca no Nordeste.

Quem se dispuser a mergulhar no sertão potiguar – mais precisamente na região conhecida como Seridó – vai se surpreender com a beleza singular da paisagem do semi-árido e com a rica cultura dessa área, alcançável sem dificuldades de carro a partir de Natal.

Marcadas historicamente pela pecuária, a mineração e o cultivo do algodão, as cidades do Seridó possuem atrativos naturais (açudes e serras), preciosidades da cozinha (produção de queijo, manteiga e carne-de-sol), rico artesanato (bordadeiras e escultores) e festas animadas (festival de quadrilhas), além de sítios arqueológicos, minas e lugar de peregrinação.

O Seridó do Rio Grande do Norte tem aspectos físico-climáticos bastante específicos:

  • O clima é muito quente e semi-árido, com uma média pluviométrica de 550 mm/ano, mas caracterizado por um regimento de escassez e desigual distribuição de chuvas, mas com uma insolação média de 3.000 horas de luz solar por ano aliada a temperaturas médias sempre superiores a 22°C.Mapa do Sérido rn
  • A vegetação predominante é baixa, de cactos, arbustos espaçados com capinas de permeio e manchas desmudas.
  • Seus solos são em grande parte pedregosos, é caracterizados por escassa profundidade e bastante sensíveis à erosão.
  • A contribuição dos fatores acima acarreta uma aptidão agrícola limitada e é difícil encontrar faixas amplas e contínuas de terras agricultáveis.

A região conta com 28 municípios distribuídos por três zonas homogêneas, ou sejam, de Caicó, Currais Novos e das Serras Centrais

Ainda que careça de infra-estrutura comparável à da capital , o sertão conta com cidades com oferta razoável de hospedagem e alimentaçào, como Acari e Caicó, que podem ser os pontos de partida para explorar as cidades vizinhas em passeios de um dia.

Veja o mapa turístico do Rio Grande do Norte

ACARI

A pequena Acari no sertão, a 210 quilometros de Natal pela RN-226 até Currais Novos, e depois pela BR-427, é circundada por uma cadeia de agradáveis serras entremeadas por reservatórios de água – a sinuosidade geográfica lhe rendeu o apelido de “musa do Seridó”.

Mapa do RN por territórios

Mapa do RN por territórios

Alçada que é município desde 1833, a cidade tem como principal atração o açude Gargalheiras, na bacia do rio Acauã, a 4 quilómetros da sede do município, de onde sai boa parte dos peixes que alimentam os moradores.

Rodeado por montanhas rochosas amareladas (duas delas com o surpreendente formato de pirâmide) cobertas por numerosas cactáceas de grandes proporções, ele forma uma enorme cachoeira no inverno.
Entre fevereiro e março, quando as águas ultrapassam sua capacidade, ocorre a sangria, isto é, a água escorre pela parede da barragem.

Guias locais conduzem os visitantes em caminhadas ao redor do açude, em trilhas com nível médio de dificuldade, com duraçào de quatro horas.

O percurso também pode ser feito de carro. Outro ponto de interesse em Acari são as inscrições rupestres que podem ser vistas ao lado do poço do Artur.

Para chegar até ele, deve-se seguir de carro por uma linda estrada de terra, em meio à paisagem selvagem de árvores retorcidas, num trecho de 15 minutos seguido por uma caminhada fácil , de cinco minutos.

Os amantes da natureza costumam subir a serra do Bico da Arara entre abril e outubro, quando as grutas do local recebem milhares de andorinhões que migram da África.

A escalada de 40 minutos é programa restrito àqueles que não se importam com o inevitável desconforto do percurso, marcado pela sujeira das aves. O melhor é subir por volta das 17 horas, durante as revoadas, para aproveitar a vista magnífica.

O Museu Histórico de Acari, instalado em um imponente sobrado de 1887, conta a história da cidade por meio de objetos e fotos.

Uma réplica de casa de taipa e artefatos ligados à pesca, ao trabalho com couro e à cultura do algodão ajudam a compor um retrato do modo de vida do sertanejo do Seridó (rua Antonio Basílio, 11, Centro).

Vale a pena apreciar também a igreja de Nossa Senhora do Rosário, de 1738, com suas belas imagens de santos, que datam do século XVIII.

CAICÓ

Elevada a município em 1868, Caicó no Sertão e sérido é uma cidade bem estruturada, que dispõe de todo tipo de serviço e cultiva uma animada vida noturna – os moradores enchem as praças, ouvindo música e petiscando nos bares. Distante 298 quilometros de Natal, ela tem vários açudes, dos quais o mais importante é o Itans.

Suas estreitas margens são perigosas para os motoristas, sobretudo na curva que lhe dá acesso. Além do artesanato, o destaque de Caicó é a cozinha, com a produção de carne-de-sol, queijos (manteiga e coalho) e biscoitos caseiros salgados preparados com manteiga de garrafa.

Criada em 1973, a Associação das Bordadeiras do Seridó oferece bordados richelieu feitos à mão (rua Otávio Lamartine, 603-B, Centro).

A típica carne-de-sol é vendida no Açougue Público Augusto Frade; ali, procure a bancada “O Regional”, onde Hugo Régis de Medeiros, líder dos produtores de carne da região e muito hábil no corte e na técnica de salgamento, oferece explicações sobre o oficio (av.Seridó, s/n, Centro).

Em Caicó, há também inúmeras queijarias pequenas que produzem queijo e manteiga. Uma delas é a Queijeria de Dona Gertrudes, onde se pode acompanhar o preparo da iguaria em um tacho grande aquecido sobre o fogão a lenha.

Após a última leva do dia, juntam-se as rapas do tacho, que são saboreadas ali mesmo, polvilhadas com açúcar e canela (perímetro de Irrigado Sabuji, s/n, zona rural).

Chega-se à cidade, desde Natal, pela BR-304 até Macaíba, a BR-226 até Currais Novos, a BR-427 até Acari e a RN-288.

CURRAIS NOVOS

Situada a 187 quilometros de Natal pela BR-226, Currais Novos no Sertão e sérido complementa o passeio do turista que vai a Acari e a Caicó. Embora tenha casario bem preservado, a paisagem desse antigo curral alçado a cidade em 1890 já se “modernizou” em muitas áreas.

Seu grande atrativo é o festival anual de quadrilhas, realizado em junho: durante os quatro dias de festa, o forró toma conta da praça central, onde barracas vendem carnes, queijos, bolos e toda sorte de espetinhos.

Após a pacífica apresentação das quadrilhas infantis, tem início a competição acalorada, ao som dos gritos das torcidas, entre as quadrilhas das várias cidades do Seridó, com transmissão ao vivo em um canal local.

As roupas, bastante trabalhadas, com cores, brilhos e inventos, seguem o tema do ano – retirantes, cangaço, borboletas etc. Os grupos e seus líderes tornam-se celebridades na região.

Fica em Currais Novos a extinta mina Brejuí, que funcionou entre 1943 e 1997 e foi a maior mina de scheelita – um minério de tungstênio – da América do Sul.

Na visita, pode-se caminhar em um extenso túnel subterrâneo – são mais de 60 quilômetros de escavações -, observar os trilhos por onde o minério era escoado, as galerias e os grandes vãos. Quando se apagam as luzes, uma lanterna especial detecta e mostra a presença do minério na rocha.

O passeio inclui um tour pela sede da mineradora, transformada em museu com objetos de trabalho, a descrição dos usos da scheelita e amostras de metais.

CARNAÚBA DOS DANTAS

Esta pequena Carnaúba dos Dantas no sertão e sérido fundada em 1860 atrai pesquisadores e turistas a seus vários sítios arqueológicos. Como carece de opções de hospedagem e alimentação, o melhor é ficar em Acari ou em Currais Novos, cidades vizinhas, e fazer um passeio com guias locais, de preferência em junho ou julho.

Os sítios situam-se no entorno no município. O mais próximo e mais importante é o de Xique-Xique, na serra de mesmo nome, a 420 metros de altura. Após cerca de uma hora de subida, chega-se a um abrigo em que se vêem, sob a rocha, pinturas rupestres com predonúnio de tons de vermelho.

São figuras antropomorfas em cenas de luta, caça, dança e sexo. Os grafismos de traço leve, pintados com instrumentos finos, permitem entrever uma técnica acurada de delineamento da pintura.

Outra atração local é o Monte do Galo, um cruzeiro com a imagem de Cristo no alto de uma ladeira.

Segundo a tradição, vaqueiros que trabalhavam nas redondezas ficaram impressionados ao ouvir o cantar de um galo no cume da pequena serra (antes chamada Serrote Grande, hoje Serrote do Galo), uma região sem habitantes; isso criou a mística do lugar, que se transformou em ponto de peregrinação.

O acesso a Carnaúba dos Dantas a partir de Natal se dá pela RN-226 até Currais Novos e, na seqüência, pela BR-427. A entrada, uma bifurcação, fica 12 quilômetros depois de Acari.

Guia de Turismo e Viagem do Sertão do R.N.

 
Share this page
 

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

 
 
 
%d blogueiros gostam disto: