Home / Nordeste Guia Turismo / Alagoas / Rio do São Francisco / Piranhas com suas antigas casas é banhada pelo rio São Francisco

 
Piranhas em Alagoas

Piranhas em Alagoas

Piranhas é uma cidade colonial banhada pelo rio São Francisco e puro charme, com suas antigas casas coloridas. Dom Pedro II também se encantou com ela e passou um bom tempo por aqui – segundo as más linguas, teria se encantado também com um nobre local.

Além do casario e das fofocas seculares, Piranhas tem outra surpresa: é parada obrigatoria para quem quer saber mais sobre o cangaҫo.

Vale esclarecer que a cidade nunca foi atacada por Lampião, por dois bons motivos: primeiramente, porque só tem uma entrada, o que deixaria os cangaceiros encurralados em caso de confronta; em segundo lugar, porque a padroeira local, Nossa Senhora, era a santa de devoҫão do chamado “Rei do Cangaҫo”.

Veja o mapa turístico de Alagoas

Lampião poupou Piranhas, mas não foi poupado: daqui saiu uma das tropas que pretendiam capturar o cangaceiro e seu bando – saiu e voltou de maos cheias, com onze caberҫas para serem exibidas em praҫa pública. Entre elas estavam as de Lampião e de Maria Bonita.

Veja o vídeo sobre Piranhas em Alagoas

Piranhas em Alagoas

Os despojos foram enviados à Bahia, mas Piranhas se regozijou em ser o primeiro lugar a ter exposto o fracasso do cangaҫo; aqui foi tirada a foto histórica, depois vendida para jornais do pais inteiro.

A história do cangaҫo pode ser conhecida no interessante Museu do Sertão, uma das atrarҫões da cidade, onde o turismo ainda esta se estruturando.

Pontos Turísticos em Piranhas em Alagoas

1) Rota do Cangaço e Cangaço Eco Parque

Piranhas ficou conhecida nacionalmente por causa do cangaço. Muitas histórias sobre o bando de Virgulino da Silva, o Lampião, povoam a região.

Foi inclusive ali pertinho da cidade, na Grota de Angicos, que os cangaceiros do bando de Lampião foram pegos em uma emboscada e decapitados. 

A navegação em catamarã pelo Rio São Francisco segue por cerca de 30 minutos, e as paisagens não podiam ser mais bonitas.

No Cangaço Eco Parque, os turistas são recebidos por uma equipe devidamente caracterizada de cangaceiros.

A história do bando de Lampião é contada por um desses guias caracterizados, que conduz o grupo por uma trilha até a Grota de Angicos.
A trilha tem cerca de 1.5km e intensidade média. 

No final da trilha, encontramos o local da emboscada onde o grupo de Lampião foi surpreendido e morto pelos volantes da polícia.

O horário de 11h dificultou um pouco nossa caminhada pela trilha, com o sol a pino do sertão. O terreno é seco e arenoso, com muita vegetação espinhosa e pouca sombra.
Quem preferir, não faz a trilha e fica desfrutando do Eco Parque, com banho de rio, muitas redes e espreguiçadeiras.

2) Centro Histórico de Piranhas

Não é a toa que o Centro Histórico de Piranhas foi declarado Patrimônio Histórico Nacional. A arquitetura da cidade é um charme só.

A cidade é repleta de casinhas e casarões antigos, tudo muito colorido. E pra deixar ainda mais lindo, tem as margens do Velho Chico emoldurando a cidade.

À noite, o movimento fica por conta dos bares da cidade, como a clássica Pizzaria e Cachaçaria Altemar Dutra (batizado em homenagem ao cantor que também andou por ali).

E parece, como dizia a canção, aquela boa e velha ‘festa do interior’. Parecia que a cidade inteira estava por ali, na Praça do Centro Histórico, proseando, ouvindo um forró e tomando uma cerveja.

A farra acontece bem no centrinho, embaixo de duas árvores acolhedoras, com as mesas dispostas na rua, numa divisão imaginária de qual mesa está sendo atendida por qual restaurante. Um clima muito delícia!

De dia, dá pra aproveitar o centrinho pra passear a pé, conhecendo as antigas igrejas da cidade.
No centro são duas, a Igreja Nossa Senhora da Saúde, construída no século XIX em estilo neoclássico, e a Igreja de Santo Antônio de Lisboa, a mais antiga de Piranhas (1790), onde estão depositados os restos mortais dos fundadores da cidade.

Outras atrações: visitar o Centro de Artesanato, Artes e Cultura de Xingó, que funciona na antiga Casa de Máquinas da Rede Ferroviária; tomar um banho de rio na prainha da Orla Altemar Dutra (ele de novo!).

3) Museu do Sertão Marília Rodrigues

O predio da antiga estaҫão ferroviária municipal em Piranhas, de arquitetura neoclássica, abriga este museu desde 1983.

Numa das salas esta exposto material relacionado a navegaҫão do rio São Francisco, à cultura popular do Nordeste e à historia da estrada de ferro que passa por Piranhas.

Na segunda, veem-se alguns púpitos, oratórios e outras peҫas religiosas. Na terceira sala o visitante tem acesso a um farto acervo dedicado ao cangaҫo – desde fotos e objetos que pertenceram a Lampião e seu bando até cartazes da década de 1930 que ofereciam recompensa para quem capturasse o temido bandoleiro, vivo ou morto. Antigo Prédio da Estaҫão Ferroviária de Piranhas.

O Museu do Sertão é uma ótima oportunidade de conhecer mais sobre a história de cidade, do cangaço e do homem sertanejo.

O museu tem peças lindas de montaria, das casas sertanejas, religiosas, de pesca e muitas fotos. Inclusive, peças que remetem à passagem de D. Pedro II pela região.

4) Torre do Relógio

Fica bem em frente ao Museu do Sertão. A torre foi construída em 1879 e sua arquitetura se destaca no centro de Piranhas.
O local abriga o ‘Café da Torre‘, que funciona no alto do edifício. 

5) Mirantes

Por falar em lindas vistas do alto: Piranhas tem um relevo lindo, o que presenteou a cidade com dois lindos mirantes. 

O Mirante da Igreja fica no alto de 250 degraus de uma escada íngreme e irregular. 

No topo, fica a igreja de Nosso Senhor do Bonfim, e a vista compensa todo o esforço!

O Mirante Secular fica no lado oposto ao Mirante da Igreja e abriga um obelisco que foi construído no final do século XIX para saudar o século XX, que se iniciava.

6) Povoado de Entremontes

Entremontes é um distrito de Piranhas. Tem importância histórica também por ter abrigado Dom Pedro II durante sua viagem pela região.
Além disso, Entremontes tem, assim como Piranhas, o charme dos casarões históricos.

Um diferencial fica por conta do artesanato das mulheres rendeiras, que fazem lindos bordados de redendê e ponto-cruz.

A arte de Entremontes é muito reconhecida na região e até mesmo por estilistas internacionais.

7) Usina de Xingó

A Usina Hidrelétrica de Xingó fica na estrada entre Piranhas e Canindé de São Francisco. O tour guiado demora cerca de 50 minutos.

O tour começa com um vídeo explicativo sobre a construção da usina, depois visitamos a maquete de madeira, talhada em detalhes incríveis, uma verdadeira obra de arte!

Por fim, somos levados até a Usina em si, e fazemos o tour pela parte externa e interna. A vista de cima da barragem é de tirar o fôlego.

Não tinha nenhuma comporta aberta quando visitamos, mas dá pra imaginar a força da água! Uma obra monumental da engenharia!

8) Cânions do Rio São Francisco

O passeio pelos Cânions de Xingó foi o que trouxe a gente pra esses lados, pra começo de conversa. Esse passeio te oferece algumas das paisagens mais lindas da região.

Você vai navegar pelo São Francisco, o Rio da Integração Nacional, de uma maneira que jamais imaginou. Tem post detalhando tudo sobre esse passeio!

Guia Turismo e Viagem de Piranhas, Alagoas e Nordeste

 
Share this page
 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

 
 
 
%d blogueiros gostam disto:
Play All Replay Playlist Replay Track Shuffle Playlist Hide picture