Locais Interessantes em Salvador da Bahia

Pelourinho em Salvador BA
Pelourinho em Salvador BA

Salvador é o segundo destino turístico mais procurado do país por estrangeiros, perdendo apenas para o Rio de Janeiro, e um dos mais visitados pelos próprios brasileiros, o que faz Salvador ser um sucesso em termos turísticos?

Belas praias? Sim, mas outras cidades do país também têm.

Conjunto arquitetônico colonial e marcas da história do país? Sim, mas cidades como Parati, Ouro Preto e Olinda, entre outras, também têm.

Uma cultura local, com música, culinária, religião etc., altamente desenvolvida? Sim, mas São Paulo e Rio de Janeiro são exemplos de cidades com alto grau de vida cultural.

A resposta, claro, é o conjunto desses elementos. Nenhuma outra cidade do Brasil reúne, em partes iguais, uma grande beleza natural, marcos da história do país e elementos culturais próprios como Salvador. É isso que a diferencia de todas as demais cidades turísticas do Brasil.

O turista que escolher Salvador pode ir à praia pela manhã, fazer um passeio ao centro histórico à tarde, jantar em um dos bons restaurantes da cidade e ir dançar nos ensaios dos blocos de carnaval ou ao som dos muitos sucessos locais.

Vídeos Locais Interessantes em Salvador BA

Há diversão para todos os gostos e, principalmente, para todos os bolsos, já que muitas das atrações, como as praias e outros passeios, não precisam ser pagas.

Então, como dizem os cidadãos de Salvador, os soteropolitanos: “sorria: você está na Bahia”.

Locais Interessantes em Salvador da Bahia:

Vale a pena também conhece-los!

A Ponta do Humaitá em Salvador é um dos locais mais bonitos de Salvador:

Pontos Turísticos em Salvador BA

Bahia Marina

Recebe barcos de todo o mundo, que ancoram no complexo náutico turístico Bahia Marina.

Bahia Marina em Salvador BA

O ponto alto da localidade e, claro, a Baia de Todos os Santos, um dos principais cartões postais de Salvador.

Veja o Mapa de Salvador

Centro Cultural Caballeros de Santiago

Rua da Paciência, 441, Rio Vermelho

Fundado em 1960, esse centro de intercambia cultural entre Brasil e Espanha promove, ao longo do ano, diversas exposições artísticas e mantém programação de teatro, shows e cinema.

Elevador Lacerda

Inaugurado em 1873 e construído pelo engenheiro Antonio de Lacerda, o elevador transporta, diariamente, 28 mil passageiros entre a Cidade Alta e a Baixa, entre eles centenas de turistas que não se cansam de fotografar a maravilhosa vista da Baia de Todos os Santos.

Vídeo sobre o Elevador Lacerda e sua história

O Elevador Lacerda surgiu para solucionar um problema existente desde a origem da cidade: o seu grande desnível. Desde então, além de ajudar os moradores, ele tornou-se um grande patrimônio do local.

História do Elevador Lacerda

O Elevador Lacerda foi inaugurado no dia 8 de dezembro de 1873.

A história do Elevador Lacerda começa a partir de um plano do empresário de transportes Antônio de Lacerda (1834-1885).

Mas antes de falarmos sobre o nascimento do Elevador Lacerda, vamos relembrar porque ele foi criado.

O desnível da capital baiana, chamado de escarpa, foi um problema durante a sua construção, e as dificuldades de locomoção só foram aumentando com o tempo.

No início do século XVII, o uso de guindastes era a única solução para o transportes de cargas pela cidade.

As pessoas precisavam se locomover usando longas escadarias e ladeiras íngremes, o que dificultava muito o dia a dia da população.

Foi só no início do século XIX que o projeto do Elevador Lacerda começou a ganhar vida.

Antônio de Lacerda, com a ajuda do pai (sócio da Companhia de Transportes Públicos) e do irmão (engenheiro), idealizou o projeto.

As obras começaram em outubro de 1869.

Elevador Lacerda em 1878
Elevador Lacerda em 1878

No início, a obra foi batizada de Elevador Hidráulico da Conceição da Praia, conhecida popularmente “Parafuso”. O nome foi alterado em 1869 para homenagear o seu criador, Antônio de Lacerda.

O Elevador Lacerda tornou-se o principal meio de transporte entre a Cidade Alta, onde está o centro histórico, e a Cidade Baixa, localização das atividades comerciais e financeiras de Salvador.

Arquitetura do Elevador Lacerda

A construção do Elevador Lacerda foi um grande desafio na época.

Foi necessário perfurar dois túneis na Ladeira da Montanha. Um na vertical, para abrigar a torre, e outro na horizontal, para dar o acesso à rua.

O apelido de “Parafuso” surgiu em referência a uma grande peça em espiral que impulsionava as duas cabines do elevador.

Apesar de toda a inovação, o Elevador Lacerda recebeu críticas na época, especialmente de estrangeiros. Eles apontavam que a obra usava pouco ferro, símbolo do desenvolvimento da engenharia e arquitetura da época.

Quando foi inaugurado, o Elevador Lacerda tinha 63 metros e apenas uma torre com duas cabines. Seu funcionamento era por meio de uma máquina a vapor.

Elevador Lacerda reforma em 1930
Elevador Lacerda reforma em 1930

Em 1930, ele passou por uma grande reforma projetada pelos arquitetos Fleming Thiesen e Adalberto Szilard. A reestruturação também contou com a participação da empresa norte-americana Otis Company.

Foi nessa época que o Elevador Lacerda ganhou mais uma torre e outras duas cabines, além de uma passarela de aço e concreto que conecta todas as estruturas.

Elevador Lacerda em 1934
Elevador Lacerda em 1934

Outra mudança significativa foi a inserção de elementos do estilo art déco, como as pilastras e os vãos finos das torres.

Após a reforma, o Elevador Lacerda alcançou 72 metros de altura e passou a ter um vão de 71 metros na passarela. Sua capacidade de transporte passou de 32 para 128 pessoas em uma viagem.

Seu interior também passou por uma modernização, recebendo pisos e paredes de granito, além de catracas eletrônicas.

Veja o antes e depois do Elevador Lacerda

Veja o antes e depois do Elevador Lacerda
Veja o antes e depois do Elevador Lacerda

Fundação Casa de Jorge Amado

O governo da Bahia transformou um casarão barroco em um dos mais importantes centros de cultura do Estado.

Fundação Casa de Jorge Amado em Salvador BA

Além do acervo que ilustra a trajetória literária de Jorge Amado, o espaço mantém permanente programação de atividades de incentivo a novos escritores.

A Fundação Casa de Jorge Amado ocupa o casarão que fica de frente para o Largo do Pelourinho, em Salvador, Bahia.

É uma instituição cultural com várias atividades e um núcleo de pesquisas, com documentação sobre o próprio Jorge Amado, Zélia Gattai e a literatura baiana, aberta à visitação e dando destaque a cursos, seminários, oficinas, ciclos de conferências, palestras, lançamentos de livros e discos, exposições, com enfoque nos temas literários, artísticos e das ciências humanas.

Largo do Pelourinho. Abre de segunda a sexta, das 10h as 18h.

Mercado Modelo

Um dos mais tradicionais pontos turísticos da cidade, o antigo prédio da alfândega (construído em 1861) acolhe, hoje, mais de 250 lojas de artesanato alem de restaurantes e bares, de onde podem ser admirados o Elevador Lacerda e o mar.

Vídeo sobre o Mercado Modelo e sua história

História do Mercado Modelo

O Mercado Modelo foi fundado em 1912, para ser um centro de abastecimento na Cidade Baixa, com localização privilegiada para a Baía de Todos-os-Santos.

Em 1969, o mais violento entre cinco incêndios ocorridos ao longo do tempo fez com que o antigo imóvel fosse demolido.

Mercado Modelo antigo
Mercado Modelo antigo

Em 2 de Fevereiro de 1971, o mercado passou a ocupar o edifício atual, que era uma alfândega construída em 1861, em estilo neoclássico, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

No local onde funcionava o Mercado Modelo anterior, foi erguida uma escultura de Mário Cravo Junior.

Outros incêndios ocorreram em 1917, 1922, 1943, e 1984. Após o último incêndio, uma grande reforma foi feita no imóvel, com reinauguração ocorrida no mesmo ano.

De segunda a sábado, das 9h as 19h; domingos, das 9h as 14h.

Morro do Cristo

Entre as praias de Ondina e da Barra.

Morro do Cristo em Salvador BA

Muitos turistas passam pela região e não dão a devida atenção ao morro localizado entre as praias de Ondina e Barra.

No alto há uma estatua de Cristo esculpida em mármore de carrara pelo italiano Pasquale de Chirico e trazida ao Brasil em 1920.

Solar do Unhão

O senhor de engenho Pedro de Unhão Castelo Branco construiu a propriedade em um aterro, no século 17.

Solar do Unhão em Salvador da Bahia

No porão da casa grande, hoje transformada em museu, em vez da antiga senzala há um charmoso restaurante.

Entre outras relíquias coloniais, um chafariz e uma delicada capela ä Nossa Senhora da Conceição.

História Solar do Unhão

Embora situado nos limites da área urbana, no sopé da falha geológica de Salvador, este conjunto arquitetônico era um complexo agro-industrial do mesmo tipo dos engenhos de açúcar, com casa-grande, capela e senzala e ainda armazéns e cais, que atendiam à função de receber e exportar a produção açucareira do recôncavo.

O solar, do séc. XVII, em alvenaria de pedra, com arcadas de tijolos no térreo, desenvolve-se em três pavimentos, sendo o último construído no século XIX.

Seu agenciamento observa o esquema funcional então vigente, destinando o térreo aos serviços e o pavimento nobre à residência. O acesso se dá através de ponte de 4 arcos onde existem barras de azulejos portugueses, de ornamentação barroca.

A capela de N. Senhora da Conceição, tem características típicas das igrejas matrizes do período, com a particularidade de possuir nave e capela-mor da mesma largura e altura.

Sua fachada, em rococó tardio, é provavelmente dos oitocentos, com fonte, aqueduto, chafariz em arenito com carranca e conchas superpostas e armazéns, de estrutura simples.

Depois de servir a ilustres personagens, funcionou como fábrica de rapé (1816-1926) e trapiche (1928), é adaptado, em 1962, para abrigar o Museu de Arte Popular da Bahia, segundo projeto de Lina Bo Bardi, sendo hoje as suas instalações ocupadas pelo Museu de Arte Moderna da Bahia.

Avenida do Contorno, s/n, Graça

Teatro Castro Alves

Construído em 1958, o teatro sofreu um incêndio um dia antes de sua inauguração. Depois de nove anos fechado, em 4 de marco de 1967 foi finalmente aberto ao público.

Teatro Castro Alves em Salvador BA

Entre os momentos importantes de sua história, destaque para o show de despedida de Caetano Veloso e Gilberto Gil, em 1970, quando partiram para uma temporada de exílio na Inglaterra durante a ditadura militar. Ladeira da Fonte, s/n, Campo Grande

Bahia.ws é o maior guia de turismo e viagem da Bahia e Salvador

Leave a Comment

You have to agree to the comment policy.

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.