Ecoturismo no Morro do Chapéu esta a 1012 m de altitude

Este post também está disponível em: Português English

Morro do Chapéu na Chapada Diamantina
Morro do Chapéu na Chapada Diamantina

Morro do Chapéu é um município brasileiro do estado da Bahia e suas principais atrações turísticas são a Gruta dos Brejões e a Cachoeira do Ferro Doido.

Antes da chegada dos europeus, o local era habitado pelos índios paiaiás. O solo era bom para plantio e muitos dos que ali chegaram à procura de ouro e prata acabaram se estabelecendo.

Uma grande área foi dada em concessão para João de Saldanha Gama Melo Torres Guedes de Brito, o 6° Conde da Ponte. Logo, outras fazendas se instalaram e a população se multiplicou.

O povoado de Morro do Chapéu se desenvolveu a partir de 1795 ao redor da capela edificada por um missionário capuchinho na Fazenda

Capela Nossa Senhora da Soledade - Morro do Chapéu
Capela Nossa Senhora da Soledade

Gameleira, onde hoje se encontra a Igreja Matriz. A fundação da cidade data de 1865, quando recebeu seu curioso nome.

Acontece que o morro situado em seus arredores tem mesmo a forma parecida com a de um chapéu.

Veja o mapa Chapada Diamantina

Morro do Chapéu na atualidade tem a indústria, o comércio, a pecuária e a extração mineral de arenito, argila, calcário e mármore como principais fontes de renda.

Paraíso do ecoturismo e dos esportes radicais e importante centro de pesquisas arqueológicas.

Morro do Chapéu possui ao seu redor um grande número de sítios de arte rupestre, tais como a Lapa dos Brejões, o Abrigo da Pedreira da Lage, o Abrigo da Cachoeira do Regato e o Abrigo do Manelão.

Vila Ventura no Morro do Chapéu
Vila Ventura
Lapa dos Brejões no Morro do Chapeú
Lapa dos Brejões

É também a região da Bahia onde se concentra o maior número de orquídeas e bromélias, objetos de estudos do Projeto Natureza.

O lugar é o habitat do colibri dourado, espécie rara de beija-flor, e de espécies em extinção, como a onça pintada e parda.

Morro do Chapéu foi escolhida por ufólogos para estudos e observações.

Logo na entrada da cidade, você depara com uma réplica de um disco voador. Trata-se do Centro de Pesquisas Urológicas, sede do Circuito de Pesquisa Porto Cristal.

Se você cruzar com turistas interplanetários, não entre em pânico; essas simpáticas criaturas de olhos grandes só abduzem norte americanos (geralmente, republicanos do centro-oeste).

 Morro do Chapéu
Morro do Chapéu

Vídeos sobre o Morro do Chapéu e Vila Ventura

Pontos Turísticos do Morro do Chapéu

Igreja Matriz Nossa Senhora da Graça no centro do Morro do Chapéu
Igreja Matriz Nossa Senhora da Graça no centro do Morro do Chapéu

1. Morro do Chapéu

Situada a 1.012m de altitude, possui clima ameno durante o dia, mas à noite a temperatura pode cair bastante. Leve agasalho e desconsidere o fato de que está indo para o interior da Bahia, onde muitos pensam que só faz calor.

2. Igreja Matriz Nossa Senhora da Graça

Em 1794, a fazenda Morro Velho recebeu a visita do missionário Capuchinho Frei Clemente de Adorno, que durante sua viagem, rezou ali uma missa, construiu um pequeno cemitério e foi embora, deixando os moradores locais entusiasmados para que construíssem uma capela.

Em 1800, os próprios moradores dão início às obras daquela que se tornaria a Igreja Matriz da cidade. Esta Igreja foi uma das mais belas da região, não só pela fachada, mas pelos trabalhos artísticos na parte interna.

3. Casarão da família Grassi

No inicio do século XX, a família italiana Grassi vivia neste casarão. O pai da família chamava-se Giuseppe, mas era chamado de “Giuseppino”.

Casarão da família Grassi no Morro do Chapéu
Casarão da família Grassi no Morro do Chapéu

Como a família era dona de boa parte das terras no entorno da Vila, daí veio o nome de “Toca do Pepino”, uma toca muito conhecida atualmente,  que abriga diversas pinturas rupestres.

Gruta dos Brejões
Gruta dos Brejões

4. Lapa dos Brejões

Essa imensa caverna no vale do rio Jacaré, na área denominada Vereda do Romão Gramacho, é um dos principais atrativos da foi região e uma das maiores existentes no Brasil. O pórtico principal tem 106m de altura.

As formações minerais em seu interior, onde a luz penetra por clarabóias, são numerosas e variadas. Pinturas rupestres podem ser vistas nas entradas dos salões.

A Lapa dos Brejões é objeto de estudos paleontológicos desde que em seu interior foram encontrados fósseis de mamíferos extintos, como mamutes, preguiças-gigantes e mastodontes.

Dentro da Lapa dos Brejões são promovidos cultos religiosos pela população local.

Cachoeira do Ferro Doido
Cachoeira do Ferro Doido

5. Brejões da Gruta

O vilarejo próximo, não dispõe de estrutura para hospedar viajantes. Portanto, quem quiser conhecer o lugar terá que acampar.

6. Cachoeira do Ferro Doido

A APA do Monumento do Ferro Doido, criada em 1998, é muito procurada para a prática de rappel e saltos de

páraquedas. Para quem prefere o trekking, o tempo estimado de caminhada é de 3h30. Vale a pena, pois o lugar é paradisíaco.

7. Gruta da Boa Esperança

Tem pinturas rupestres e é objeto de muitas histórias sobre rituais com sacrifícios humanos. Segundo a lenda, os participantes do rito podiam transformar pedras em ouro.

Vila do Ventura
Vila do Ventura

8. Cachoeira do Ventura

Queda d’água de 50m em meio a vasta vegetação. Excelente passeio de um dia inteiro.

9. Lajeado do Bordado

Você poderá ver ali inscrições rupestres deixadas por tribos que habitavam o lugar há milhares de anos e, no solo, pegadas milhões de anos deixadas por animais pré-históricos.

10. Vila do Ventura, distrito de Morro do Chapéu

Por volta de 1840, garimpeiros foragidos de Lençóis se abrigaram próximo à atual fazenda Várzea da Cobra.

Um desses garimpeiros chamava-se Ventura. Em pouco tempo, descobriram diamante e carbonato na região e instalaram um pequeno garimpo ali.

Passaram, então, a vender as pedras em Lençóis, tendo sido o garimpeiro Ventura, o responsável pela venda dos primeiros diamantes.

Vila do Ventura, distrito de Morro do Chapéu
Vila do Ventura, distrito de Morro do Chapéu

O nome “Ventura” tornou-se referência e o local começou a atrair muitos outros garimpeiros, que começaram a povoar as terras em torno da área.

Logo, a pequena vila entra em decadência em razão da Guerra do Paraguai, pois quase todos os homens foram recrutados para as batalhas.

Após a guerra, a vila volta a crescer, atraindo aproximadamente 12 mil residentes, e atinge seu apogeu, com forte comércio, escolas, correios e capelas.

A Vila entra em decadência novamente, após a retração do mercado de carbonato mundial. Atualmente, só três famílias moram no distrito que guarda ruínas e casarões, em suas ruas de pedras. 

Possui ruínas do período áureo da mineração, quando foi o maior produtor de diamantes da região.

Foi o maior centro produtor de diamante da região, possuindo, na década de 1920, cerca de 4.000 habitantes e, inclusive, um teatro e filarmônica. Com a seca de 1932 e alterações no mercado de carbonato, o garimpo entrou em declínio.

Trilha que une a história e a pré-história

A decadência da Vila do Ventura foi acentuada com construção de uma nova estrada asfaltada, cujo traçado fica a cerca de 7km. Restam algumas casas e sobrados coloniais em ruína, o calçamento original em pedra e a pequena igreja. Recentemente foi recuperado um belo sobrado.

Bahia.ws é o maior guia de turismo e viagem da Bahia e Salvador

Guia de Turismo do Morro do Chapéu

Hide picture