Palácio dos Leões

Palácio dos Leões

O Palácio dos Leões tem três mil metros quadrados de área construída, dividida em três alas: residencial, administrativa e visitação.

A coleção de 1.300 objetos de arte fica exposta em cinco nobres salões. São telas de artistas renomados, cristais, prataria portuguesa, tapetes franceses e porcelanas.

Um dos destaques co acervo é a coleção de gravuras do jornalista e teatrólogo maranhense Arthur Azevedo.

O Palácio dos Leões, sede política e institucional do Governo do Estado do Maranhão e um dos maiores patrimônios arquitetônicos do estado, data historicamente do dia 8 de setembro de 1612, quando os franceses, comandados por Daniel de La Touche, Senhor de La Ravardiere, estabeleceram a França Equinocial entre os estuários dos rios Anil e Bacanga, na Ilha de Upaon Açu, iniciando a construção de um forte, ao qual deram o nome de São Luís, em homenagem ao Rei da França.

Após a expulsão dos franceses, em 1615, o capitão-mor Jerônimo de Albuquerque, utilizando a mão-de-obra dos índios, iniciou no local do forte São Luís, batizado pelos portugueses de São Filipe, a construção em taipa de pilão da residência dos governadores, conforme projeto do engenheiro militar Francisco de Frias Mesquita.

Palácio dos Leões - Foto antiga

Palácio dos Leões – Foto antiga

Em 1766, o governador Joaquim de Mello e Póvoas determinou a demolição do velho Palácio do Governo e fez construir uma nova sede.

O edifício, feito de pedra e cal, era sóbrio, acachapado, com beirais salientes, telhado baixo, tendo a entrada de lado, uma vez que somente na reforma empreendida em 1857 é que foi a mesma deslocada para o centro do prédio.

Durante todo o período do império, o Palácio dos Leões passou por várias reformas.

Reformas do Palácio dos Leões

Em 1968, o então governador José Sarney realizou melhorias internas no prédio, após várias outras reformas.

O Palácio dos Leões foi ampliado com a aquisição do prédio da antiga delegacia Fiscal do Tesouro Nacional, que se situava ao lado, aumentando significativamente suas instalações administrativas.

Em 1970, o governador Pedro Neiva de Santana complementou e terminou a decoração do Palácio dos Leões iniciada no governo Sarney, recuperando a pinacoteca e reformando toda a decoração das salas e dependências, inclusive colocando candelabros, tapetes e cortinas.

Palácio dos Leões em São Luís do Maranhão

Palácio dos Leões – interior

Na última reforma do Palácio dos Leões, foram recuperadas as instalações principais e o telhado e iniciado o registro das obras de arte, mobiliário, prataria, louças e de todos os demais bens e objetos passíveis de inventário.

O Palácio dos Leões guarda rico acervo cultural

Muito mais do que a suntuosidade de sua estrutura frontal, vigiada por dois imponentes leões representando o Poder Executivo, o Palácio dos Leões tem três mil metros quadrados de área construída, dividida em três alas – residencial, administrativa e visitação –, que guardam um acervo cultural riquíssimo constituído por pinacoteca, esculturas, porcelanas, prataria, cristais e mobiliário.

Os cinco salões nobres do Palácio dos Leões guardam 1.300 obras de inestimável valor artístico, que hoje estão inventariadas, tombadas e catalogadas e podem ser admiradas pelos visitantes.

Entre as peças dispostas, estão candelabros, castiçais, tapetes franceses, lustres de cristais, porcelanas finas trazidas de países como China, França e Áustria e pratarias portuguesas.

O Palácio abriga um mobiliário eclético e expõem peças que remontam há mais de 200 anos. Entre as peças dispostas, estão candelabros, castiçais, tapetes franceses, lustres de cristais, porcelanas finas trazidas de países como China, França e Áustria e pratarias portuguesas.

Jardins do Palácio dos Leões

Jardins do Palácio dos Leões

Raridades no Palácio dos Leões

O acervo do Palácio dos Leões inclui ainda raridades como um Biedermier artesanal e o Arcais (móvel utilizado para guardar objetos eclesiásticos), que pertenceu à capela do Bom Jesus dos Navegantes.

Outra preciosidade é a coleção de artes plásticas de Arthur Azevedo e pertencente ao acervo da Casa. São quadros a óleo, alguns deles muito valiosos, como os de Eliseu Visconti, Vitor Meireles e Parreiras.

Se quiser conhecer os salões do monumento e seus aprazíveis jardins, o Palácio abre as portas para visitas monitoradas pela sua equipe de curadoria às segundas, quartas e sextas, das 14h às 17h30, e aos sábados e domingos, das 15h às 17h.

Escolas podem fazer agendamento. Se preferir, o Palácio dos Leões possui um site na internet que convida o internauta para um passeio virtual, em 360 graus, pelos seus ambientes majestosos. Para conferir, basta acessar o endereço: www.ma.gov.br/palaciodosleoes.

Palácio dos Leões – Sede Administrativa do Governo do Estado do Maranhão
Onde: Av. D. Pedro II, Centro
Visitação: De terça-feira a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 17h; sábados e domingos, das 9h às 12h.
Informações: (98) 3232-9789

Guia de Turismo e Viagem de São Luís do Maranhão

 
Share this page
 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

 
 
 
%d blogueiros gostam disto: