Palácio dos Leões

Palácio dos Leões

O Palácio dos Leões em São Luís do Maranhão tem três mil metros quadrados de área construída, dividida em três alas: residencial, administrativa e visitação.

A coleção de 1.300 objetos de arte fica exposta em cinco nobres salões. São telas de artistas renomados, cristais, prataria portuguesa, tapetes franceses e porcelanas.

Um dos destaques co acervo é a coleção de gravuras do jornalista e teatrólogo maranhense Arthur Azevedo.

O Palácio dos Leões, sede política e institucional do Governo do Estado do Maranhão e um dos maiores patrimônios arquitetônicos do estado, data historicamente do dia 8 de setembro de 1612, quando os franceses, comandados por Daniel de La Touche, Senhor de La Ravardiere, estabeleceram a França Equinocial entre os estuários dos rios Anil e Bacanga, na Ilha de Upaon Açu, iniciando a construção de um forte, ao qual deram o nome de São Luís, em homenagem ao Rei da França.

Vídeo sobre o Palácio dos Leões em São Luís do Maranhão

Palácio dos Leões em São Luís do Maranhão

Palácio dos Leões em São Luís do Maranhão

Após a expulsão dos franceses, em 1615, o capitão-mor Jerônimo de Albuquerque, utilizando a mão-de-obra dos índios, iniciou no local do forte São Luís, batizado pelos portugueses de São Filipe, a construção em taipa de pilão da residência dos governadores, conforme projeto do engenheiro militar Francisco de Frias Mesquita.

Palácio dos Leões - Foto antiga

Palácio dos Leões – Foto antiga

Em 1766, o governador Joaquim de Mello e Póvoas determinou a demolição do velho Palácio do Governo e fez construir uma nova sede.

O edifício, feito de pedra e cal, era sóbrio, acachapado, com beirais salientes, telhado baixo, tendo a entrada de lado, uma vez que somente na reforma empreendida em 1857 é que foi a mesma deslocada para o centro do prédio.

Durante todo o período do império, o Palácio dos Leões passou por várias reformas.

Reformas do Palácio dos Leões

Em 1968, o então governador José Sarney realizou melhorias internas no prédio, após várias outras reformas.

O Palácio dos Leões foi ampliado com a aquisição do prédio da antiga delegacia Fiscal do Tesouro Nacional, que se situava ao lado, aumentando significativamente suas instalações administrativas.

Em 1970, o governador Pedro Neiva de Santana complementou e terminou a decoração do Palácio dos Leões iniciada no governo Sarney, recuperando a pinacoteca e reformando toda a decoração das salas e dependências, inclusive colocando candelabros, tapetes e cortinas.

Palácio dos Leões em São Luís do Maranhão

Palácio dos Leões – interior

Na última reforma do Palácio dos Leões, foram recuperadas as instalações principais e o telhado e iniciado o registro das obras de arte, mobiliário, prataria, louças e de todos os demais bens e objetos passíveis de inventário.

O Palácio dos Leões guarda rico acervo cultural

Muito mais do que a suntuosidade de sua estrutura frontal, vigiada por dois imponentes leões representando o Poder Executivo, o Palácio dos Leões tem três mil metros quadrados de área construída, dividida em três alas – residencial, administrativa e visitação –, que guardam um acervo cultural riquíssimo constituído por pinacoteca, esculturas, porcelanas, prataria, cristais e mobiliário.

Os cinco salões nobres do Palácio dos Leões guardam 1.300 obras de inestimável valor artístico, que hoje estão inventariadas, tombadas e catalogadas e podem ser admiradas pelos visitantes.

Entre as peças dispostas, estão candelabros, castiçais, tapetes franceses, lustres de cristais, porcelanas finas trazidas de países como China, França e Áustria e pratarias portuguesas.

O Palácio abriga um mobiliário eclético e expõem peças que remontam há mais de 200 anos. Entre as peças dispostas, estão candelabros, castiçais, tapetes franceses, lustres de cristais, porcelanas finas trazidas de países como China, França e Áustria e pratarias portuguesas.

Jardins do Palácio dos Leões

Jardins do Palácio dos Leões

Raridades no Palácio dos Leões

O acervo do Palácio dos Leões inclui ainda raridades como um Biedermier artesanal e o Arcais (móvel utilizado para guardar objetos eclesiásticos), que pertenceu à capela do Bom Jesus dos Navegantes.

Outra preciosidade é a coleção de artes plásticas de Arthur Azevedo e pertencente ao acervo da Casa. São quadros a óleo, alguns deles muito valiosos, como os de Eliseu Visconti, Vitor Meireles e Parreiras.

Se quiser conhecer os salões do monumento e seus aprazíveis jardins, o Palácio abre as portas para visitas monitoradas pela sua equipe de curadoria às segundas, quartas e sextas, das 14h às 17h30, e aos sábados e domingos, das 15h às 17h.

Escolas podem fazer agendamento. Se preferir, o Palácio dos Leões possui um site na internet que convida o internauta para um passeio virtual, em 360 graus, pelos seus ambientes majestosos. Para conferir, basta acessar o endereço: www.ma.gov.br/palaciodosleoes.

Palácio dos Leões – Sede Administrativa do Governo do Estado do Maranhão
Onde: Av. D. Pedro II, Centro
Visitação: De terça-feira a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 17h; sábados e domingos, das 9h às 12h.
Informações: (98) 3232-9789

Guia de Turismo e Viagem de São Luís do Maranhão

Summary
História do Palácio dos Leões em São Luís do Maranhão
Title
História do Palácio dos Leões em São Luís do Maranhão
Description

Palácio dos Leões abriga um mobiliário eclético e expõem peças com mais de 200 anos como candelabros, castiçais, tapetes franceses, lustres e porcelanas.

 
Share this page
 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

 
 
 
%d blogueiros gostam disto:
Play All Replay Playlist Replay Track Shuffle Playlist Hide picture