Parque Nacional Vale do Catimbau PE – Guia de Turismo

Parque Nacional Vale do Catimbau PE
Parque Nacional Vale do Catimbau PE

O Parque Nacional do Catimbau, também conhecido como Vale do Catimbau, é um parque nacional brasileiro do estado de Pernambuco.

O principal motivo da fama do Parque Nacional do Catimbau é um paredão, chamado de Sítio Arqueológico dos Homens Sem Cabeça.

De acordo com estudiosos, essas pinturas rupestres foram feitas há cerca de sete mil anos pelos primeiros habitantes da região. É uma oportunidade para entender melhor como viviam nossos antepassados.

Criado em 22 de agosto de 2002, abrange os municípios de Buíque, Ibimirim, Sertânia e Tupanatinga, entre o Agreste e o Sertão Pernambucano.

Um imenso complexo de mais de 62 mil hectares de serras e rochas.

Sítio Arqueológico dos Homens Sem Cabeça
Sítio Arqueológico dos Homens Sem Cabeça

O parque é o segundo do estado (o primeiro é o de Fernando de Noronha). Catimbau preserva uma das últimas áreas da Caatinga.

Cachimbo pequeno apagado, práticas de feitiçaria e lugar de cobras, tudo isso é o que significa Catimbau em tupi.

O vale que carrega o mesmo nome e fica localizado a 283 quilômetros do Recife, em pleno Sertão Pernambucano, também é assim: esconde grandes surpresas e curiosidades.

Mapa do Parque Nacional Vale do Catimbau PE
Mapa do Parque Nacional Vale do Catimbau PE

O Vale do Catimbau, nomeado parque nacional em 2002 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), é considerado o segundo maior do Brasil, atrás apenas da Serra da Capivara, no Piauí.

Os imensos paredões de rocha apresentam formas únicas e escondem um intenso misticismo.

O vale conta com diversos sítios arqueológicos, grutas, cemitérios pré-históricos e pinturas rupestres com mais de seis mil anos.

O vale é a porta de entrada para o turismo do nosso município de Buíque.

Ele traz um encanto único. Se formos falar da questão geológica, ele tem registros de um passado muito remoto.

Na questão humana, nós temos fósseis de mais de 6.500 mil anos.

São areias de várias cores, uma quantidade muito grande de cavernas, uma vegetação bem diferente das demais do nosso país. É formado por obras de artes em meio a rochas, serras, cavernas, vales e pinturas rupestres.

É o segundo maior parque arqueológico do Brasil e é que ele foi escolhido como uma das sete maravilhas de Pernambuco.

O Parque Nacional Vale do Catimbau PE é aquele lugar que poucos já ouviram falar, mas que traz grande riqueza de história, obras arquitetônicas, aventuras e belas paisagens.

Parque Nacional Vale do Catimbau PE

Características 

  • 2° maior parque arqueológico do Brasil
  • Há aproximadamente 2.000 cavernas e 28 cavernas-cemitério
  • Uma das últimas áreas preservadas da caatinga existente no Brasil
  • Trilhas, em sua maioria, com baixo grau de dificuldade no trajeto
  • Conhecer o seu cartão postal de atrativo turístico: a Pedra Furada

Passeios e trilhas

O passeio pode ser até a Pedra do Elefante, Camelo, Cavalo Marinho e do Cachorro podendo aproveitar para fazer a trilha do santuário.

Há a possibilidade de você conhecer também o Canyon e a Pedra da Igrejinha (conjunto de formações rochosas).

Outra opção de trilha é a dos Homens Sem Cabeça passando pela Trilha do Chapadão e também a trilha Casa da Farinha onde estão as pinturas rupestres.

Essas são algumas sugestões, mas existem muitas outras que o guia pode te sugerir!

Vale ressaltar que é obrigatório contratar um guia, pois o acesso a esses passeios e trilhas é complexo e só quem conhece bem o local pode indicar onde parar a fim de vislumbrar as paisagens.

Cachoeiras

O parque também conta com muitas cachoeiras para você tomar um bom banho em meio ao calor do sertão nordestino.

Elas estão presentes nas diversas trilhas, passeios pela mata, então, o guia poderá lhe sugerir quais podem ser melhor aproveitadas!

Trilha da Umburana (1,3Km – 1h30)

A Trilha das Umburanas do Vale do Catimbau 

É uma trilha bem tranquila e ao longo dela nós damos um pouco de aula de geologia e morfologia.

Vale do Catimbau - Trilha da Umburana

O diferencial dela é a observação das formações geológicas que se parecem com vários animais e objetos”, explicou João. Realmente as pedras moldadas pelo vento brincam com a imaginação dos visitantes.

Uma das mais curiosas é a da bruxa de boca aberta e a do navio.

Mas no caminho o guia mostra diversos animais esculpidos na borda da chapada arenítica, como lagarto, capivara, tartaruga, jacaré, etc. Além das figuras, o lindo visual dos paredões ao fundo completa o cenário, que fica ainda mais especial quando se acha um coração desenhado na pedra logo abaixo.

Trilha do Santuário (3km – 2 horas)

Os turistas iniciam a caminhada de 3 quilômetros que tem duração média de duas horas no total.

A sensação de ir adentrando a vegetação seca ainda no escuro é bem diferente. Lanternas ajudam no percurso, que aos poucos vai se iluminando com a proximidade da alvorada.

Vale do Catimbau - Trilha do Santuário

Depois de andar cerca de 40 minutos se chega a um ponto no alto de uma planície, perfeito para a contemplação da chegada do astro-rei.

Aí é só relaxar e se deixar banhar pelos primeiros raios solares de um dia para ficar marcado.

Só esta experiência já valeu ter levantado mais cedo da cama, mas a trilha ainda reserva outras belas surpresas a quem madruga.

Ainda com a temperatura agradável os turistas começam a outra etapa da caminhada, que vai terminar em um dos locais mágicos e intrigantes do Parque Nacional do Vale do Catimbau.

Trilha das Torres (5 km – 2 horas)

A Trilha das Torres é uma das maiores, mais completas e bonitas do Vale do Catimbau.

Ao longo dos seus quase 5 km de extensão, o visitante se depara com paisagens estonteantes, cenários únicos e artes com mais de seis mil anos.

Vale do Catimbau - Trilha das Torres

Múltiplos atrativos assim como são múltiplas as visões que se tem da Pedra do Cachorro que, dependendo do ângulo, se apresenta também como chipanzé, bico de papagaio e uma esfinge. “Tudo depende do ponto do passeio de onde você olha. Nós, pernambucanos, traduzimos isso como a teimosia da imaginação”.

Trilha da Igrejinha (0,6km – 30 minutos)

A Trilha da Igrejinha é uma das mais fáceis e rápidas do Vale do Catimbau.

Quando você sai do carro basta uma caminhada de menos de 15 minutos para se chegar cerca de trezentos metros depois na imponente formação rochosa com uma fenda no meio, que dá nome ao percurso por parecer com uma porta de uma igreja.

Vale do Catimbau - Trilha da Igrejinha

O visual fica ainda mais deslumbrante ao entardecer quando os últimos raios solares reforçam os contornos alaranjados das pedras. O local, que carrega um ar místico, é um dos principais cartões-postais do vale.

Entre as muitas lendas, a de que quem passasse pela fenda entraria em uma outra dimensão.

Crenças à parte, o local, assim como tantos outros espalhados pelo vale, parece ter uma energia diferente. Não à toa é um roteiro bastante procurado por quem procura um contato mais íntimo com a natureza por meio da meditação. Encontramos um grupo de quase 20 pessoas que saiu do Recife para praticar yoga lá.

“Um lugar onde a gente pode se integrar com o silêncio, o ar puro, a natureza e com nós mesmos. Então aqui sentimos essa diferença de conseguir essa conexão com o todo que está ao nosso alcance em qualquer lugar, mas aqui parece mais fácil”, afirmou a instrutora de yoga Camila Leal.

Onde fica

O Vale Catimbau fica localizado entre o Agreste e Sertão Pernambucano, sendo o acesso mais perto pelo município de Buíque, em Pernambuco.

Também fica a 300 km de Recife, onde você pode seguir tranquilamente.

Como ir

Pode também pegar um ônibus na rodoviária de Recife/PE ou ir de carro pela BR-232 (sentido interior), saindo de Recife/PE.

Guia de Turismo do Nordeste

Leave a Comment

You have to agree to the comment policy.

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.