A Praia do Forte é um dos melhores destinos turisticos na Bahia

Praia do Forte na Bahia
Praia do Forte na Bahia

A Praia do Forte é um destino imperdível para quem vai fazer turismo na Bahia que é um antigo vilarejo de pescadores, com belas praias, piscinas naturais, coqueirais, lagoas, cachoeiras, trilhas e reservas ecológicas.

A charmosa Vila repleta de belas lojas, cafés, bares e restaurantes é o principal point para os visitantes que chegam de diversas partes do mundo para conhecer o local.

Localizada na Costa dos Coqueiros, litoral norte da Bahia, a 56 km do Aeroporto Internacional de Salvador, a 75 km da Estação Rodoviária e a 80 km do Centro Histórico de Salvador, Praia do Forte possui uma excelente infraestrutura que permite acomodar bem seus ilustres visitantes.

Sua estrutura hoteleira é excelente com mais de mil leitos que vai desde resorts a hotéis e pousadas de alta categoria, além dos albergues, campings, flats, casas e apartamentos para alugar.

Possui uma gastronomia da melhor qualidade, lojas de grife, história marcante, cultura forte, passeios ecológicos e muito esporte radical.

Mapa da Praia do Forte BA
Mapa da Praia do Forte BA

Vídeos sobre a Praia do Forte na Bahia

Veja o mapa Costa dos Coqueiros

Mapa da Praia do Forte

Veja o mapa da Praia do Forte

Atrações Turísticas da Praia do Forte

1. História da Praia do Forte

A antiga aldeia de pescadores deu origem ao que é hoje Praia do Forte, um lugar que ainda preserva características rústicas, com detalhes requintados e modernidade.

Mapa da Praia do Forte - Bahia
Mapa da Praia do Forte

Acredita-se que a formação do vilarejo tenha começado em torno da fortaleza que o fidalgo português Garcia D’Ávila mandou construir, ainda no século XVI, para dar mais proteção ao lugar.

Tinha a finalidade de armazenar as mercadorias que chegavam à costa da colônia, pelo mar, e que depois seriam enviadas para Salvador.

Muitas famílias começaram a se instalar na região atraída pela chegada de mudas de côco que os colonizadores portugueses traziam da Ásia.

Alguns homens se dedicaram ao plantio e colheita, outros se tornam marinheiros ajudando na travessia de pessoas e mercadorias no Rio Pojuca, e outros ainda, dedicaram-se à pesca. Era o início do povoamento das terras próximas ao Forte.

Castelo Garcia D'Ávila ou a Casa da Torre
Castelo Garcia D’Ávila ou a Casa da Torre

Primeira fortificação portuguesa militar e residencial do Brasil, o Castelo Garcia D’Ávila ou a Casa da Torre, como também é denominada, é um dos mais importantes e significativos monumentos do patrimônio histórico e cultural brasileiro.

Por suas características medievais, é considerada a única construção do gênero nas Américas.

O Castelo começou a ser construído em 1551 por Garcia D’Ávila, que chegou à Bahia em 1549, com o primeiro governador geral Tomé de Souza. Foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, em 1938.

Hoje é um dos principais pontos turísticos de Praia do Forte. Representado por suas ruínas, o Castelo oferece ao visitante uma bela vista para o mar.

Capela de São Francisco de Assis na Praia do Forte
Capela de São Francisco de Assis na Praia do Forte

A Capela de São Pedro dos Rates é a parte mais antiga – e mais preservada – do histórico Castelo. Conhecida por Capela de Todos os Santos, deu origem à sede e só foi concluída em 1624.

Em 1835, todo o conjunto foi abandonado pelos descendentes de Garcia D’Ávila. Após as obras de recuperação, na década de 1980, o Castelo foi transformado em fundação e hoje funciona como Parque Histórico Garcia D’Ávila.

Há no local um museu que mostra todo o processo das obras de recuperação das ruínas e tem um acervo precioso de louças portuguesas e peças indígenas que foram recuperadas durante as escavações e catalogadas pelo Iphan.

O parque é visitado por estudantes e recebe milhares de turistas anualmente.

Outro cartão postal de Praia do Forte é a Capela de São Francisco de Assis. A igrejinha, hoje toda recuperada, fica em frente à praia do Porto. Contam que foi construída pelos pescadores em 1900.

No altar estão as imagens de São Francisco de Assis, São Benedito e Nossa Senhora da Conceição, e nas paredes telas do pintor baiano Carlos Bastos retratando a via sacra.

A sua localização privilegiada, compondo com o mar e as embarcações, é o cenário ideal para a realização de casamentos, não só dos nativos, mas de visitantes de diversas partes do Brasil que escolhem Praia do Forte para casar.

2. Natureza

A natureza é pródiga nessa região. Praia do Forte é cerca de maravilhas da natureza, além da Mata Atlântica, belas praias com bons locais para a prática de surf e as tão famosas piscinas naturais são atrativos para todos.

As caminhadas ecológicas na Reserva de Sapiranga, localizada a 6km da Praia do Forte, é tudo de bom.

Área de transição entre a restinga e a Mata Atlântica são 600 hectares de mata secundária, totalmente preservada, com espécies raras de fauna e flora, como o mico-estrela, o tamanduá, quase meia centena de tipos de pássaros, orquídeas e bromélias.

A caminhada prossegue na direção das corredeiras do rio Pojuca, que oferece um refrescante banho.

Na reserva vários passeios e aventuras radicais são realizados, entre eles, quadriciclo, cavalgada, ciclismo, tirolesa, flutuação em bóias, caiaque, canoa motorizada e para terminar os passeios pode-se desfrutar de um tranqüilo banho na lagoa Açu.

3. A Vila na Praia do Forte

A Vila na Praia do ForteA Vila é o point e o coração de Praia do Forte. Charmosa, descolada, é o lugar do footing, onde jovens, crianças e senhores passeiam sem compromisso.

Um papinho aqui outro ali ou uma geladinha aqui e um jantarzinho ali e finalmente… Tudo termina em um famoso bar ou em um café local.

Com lojas descoladas e de grife a Vila da Praia do Forte é marcada pelo bom gosto em sua ambientação.

O lugar possui um charme especial onde o rústico combina com o sofisticado criando um clima de verão que encanta visitantes durante o ano inteiro.

Além de desfrutarem das belezas de um lugar tropical, os turistas têm a sua disposição uma excelente infraestrutura completa de lazer, serviços e produtos. Praia do Forte é pura diversidade. O diferencial é que na Vila não transitam carros, só bicicletas e as famosas bicitaxi.

Na Vila, a Gastronomia tem um destaque especial, são dezenas de bares e restaurantes com uma variedade de opções de dar água na boca. São oferecidos desde os famosos beijús da casa de farinha e os deliciosos quitutes da baiana de acarajé às cozinhas mais sofisticadas, como a francesa, italiana e japonesa.

A vida noturna de Praia do Forte é repleta de muita alegria, música e gente bonita circulando pelos bares, que agitam até de madrugada. Para os que gostam de programas mais tranquilos, a opção é sair para um passeio noturno, principalmente nos dias de lua cheia.

É na Vila que se encontre a Capela de São Francisco de Assis, um dos mais famosos cartões postais da Praia do Forte.

Localizada em frente á praia do Porto, onde estão ancorados os barcos de pesca. Muitas festas, e manifestações populares, nasceram em torno da igreja, entre elas: Ramo, Comédias, Padroeiro, Caretas, Reisado e Puxada de rede.

4. Praias

Belas praias de água quente, piscinas naturais, areia branca, vasto coqueiral e mar calmo. São as características que tornam a Praia do Forte um destino inesquecível, com paisagens para todos os gostos. Conheça um pouco de cada uma:

Um dos pontos mais procurados é a Praia do Papa Gente, com suas piscinas não muito rasas que possibilitam deliciosos mergulhos para contemplar cardumes de peixes coloridos.

Próximo ao Papa Gente temos a Praia do Lord. Na maré baixa forma-se uma grande piscina natural onde pode-se beber e apreciar iguarias da culinária baiana servidas aos banhistas dentro do mar.

Já a Praia do Porto fica em frente à igreja de São Francisco de Assis e repleta de barracas que servem iguarias baianas. Lá ficam atracados os barcos de pesca. Quase uma baía, ideal para nadar e para a farra da criançada.

Para caminhadas à beira mar a praia ideal é a do Eco Resort.

Pode-se ir até Itacimirim ou Guarajuba e, no retorno, tomar um banho em local reservado e tranqüilo, com ondas pequenas e um píer no meio do mar. Praia ideal para a prática de windesurf.

Esta é a Praia do Forte. Diversos locais maravilhosos para banho de mar. Difícil é escolher o melhor… Venha descobrir a sua praia preferida.

5. Projeto Tamar na Praia do Forte

Praia do Forte é a principal região de desova das tartarugas marinhas do Brasil. Existem sete tipos de tartarugas marinhas no mundo, sendo que, quatro delas põem seus ovos nas praias do Papa Gente, há milhares de anos.

Projeto Tamar na Praia do Forte
Projeto Tamar na Praia do Forte

Este monitoramento é feito pela base do Projeto Tamar-Ibama, que tem sede na praia do Forte desde 1980, com um centro de visitantes mais completo e moderno do país.

É composto pelo Museu da Tartaruga, aquários, tanques, restaurantes e loja.

O Tamar está localizado na vila dos pescadores, próximo ao Farol.

A temporada de desova ocorre entre os meses de setembro a maio e é monitorada, nos trinta quilômetros de praia, pela base do instituto da Praia do Forte. Mais de novecentas desovas são por eles protegidas. Toda a extensão é considerada Área de Estudo Integral (AEI).

A Base do Tamar funciona numa área de dez mil metros quadrados e integra uma importante área, formada por remanescentes da Mata Atlântica.

Ainda na área do projeto, existe uma programação cultural para a população local e visistantes. O Projeto funciona diariamente, incluindo domingos e feriados, das 09:00h às 17:30h.

6. Instituto Baleia Jubarte

Instituto Baleia Jubarte
Instituto Baleia Jubarte

Criado em 2000 com o objetivo de monitorar e fazer a conservação das baleias jubarte em águas brasileiras, o Instituto com sede em Praia do Forte é constituído por uma equipe de biólogos preparados para receber esses ilustres visitantes, que chegam da Antártida fugindo das águas frias no período de julho a outubro.

A Praia do Forte se tornou uma área de concentração e reprodução desses mamíferos.

Durante a “baleiada”, atividade desenvolvida para avistagem desses animais em alto mar, os visitantes tem a oportunidade de observar belas acrobacias com baleias que chegam até 16 metros de comprimento e 40 toneladas, um verdadeiro espetáculo da natuzera na costa baiana.

Antes do passeio, são ministradas palestras, onde é possível obter informações sobre o mamífero, como hábitos, comportamento e curiosidades. Dentro do Instituto Baleia Jubarte também se encontra um museu disponível para visitação.

O Instituto funciona de terça a sábado, no horário das 12h às 18h, incluindo feriados.

7. Reserva Sapiranga

Reserva Sapiranga
Reserva Sapiranga

Para os apaixonados do ecoturismo e turismo de aventura, as opções são as caminhadas ecológicas na belíssima Reserva Ecológica da Sapiranga, formada por seiscentos hectares de Mata Atlântica e habitat natural de espécies diferentes de flores e plantas nativas, entre elas as orquídeas e bromélias.

Os passeios pela reserva podem ser feitos de várias maneiras como: caminhada, bicicleta, cavalo e para os que preferem mais aventura, a melhor opção é o quadríciclo. Todas as trilhas são sinalizadas.

8. Castelo Garcia D´Ávila ou a Casa da Torre

Castelo Garcia D´Ávila
Castelo Garcia D´Ávila

Um dos principais pontos turísticos da Praia do Forte é a majestosa ruína da Casa da Torre de Garcia D´Ávila.

Um dos principais monumentos do patrimônio histórico e cultural brasileiro, considerado a primeira grande edificação portuguesa no Brasil.

A praia do Forte carrega esse nome por abrigar um castelo de inspiração medieval cravado num ponto de observação marítima a 2,5 km da costa. Suas ruínas remontam a 1551.

Edificado por um dos maiores latifundiários brasileiros daquela época, as ruínas do castelo, que é patrimônio tombado pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) desde 1937, são abertas à visitação -e emolduraram diversos acontecimentos do Brasil.

A pedido de João 3º, então rei de Portugal, Garcia D’Avila 1º erigiu aquilo que chamou de “Torre Singela de São Pedro de Rates“, uma homenagem à sua cidade natal.

Em seguida, construiu o solar e a capela Nossa Senhora da Conceição.

Com 26 quartos e duas salas, só foi concluído, em 1624, pelo neto de Garcia D’Avila, o fidalgo Francisco Dias de Avila Caramurú.

À época, a fortaleza, conhecida como Casa da Torre, serviu como uma espécie de base militar para defender Salvador, então a capital brasileira.

Qualquer aproximação de embarcações suspeitas era monitorada e informada por meio de um sistema de sinalizações por tocha vistas na chamada Cidade da Bahia, a 70 km do forte.

No livro “Bandeirantes e Sertanistas Bahianos”, o historiador Francisco Borges de Barros afirmou que se tratava do único castelo em estilo medieval construído na América -e que, devido à divisão das Capitanias Hereditárias, também sediou o maior latifúndio do mundo, com área de 800 mil km2 (equivalente a 1/10 do território brasileiro).

Para efeito de comparação, é similar às áreas de Portugal, Espanha, Holanda, Itália e Suíça somadas.

INVASÕES HOLANDESAS

Em 1637, o castelo figurou como protagonista no combate à segunda invasão perpetrada por holandeses, que desejavam sedimentar o domínio sobre Pernambuco.

O castelo foi, então, um ponto para descanso das tropas, vigília noturna e comunicação por sinais de luz.

A participação na derrota dos holandeses, expulsos em 1645 com ajuda da Inglaterra, foi tão grande que Garcia D’Avila 2º ganhou, em 1641, a patente de capitão das Ordenanças, cedida pela coroa lusa por serviços prestados pelo seu pai durante a guerra.

A Garcia D’Avila também se credita ter trazido ao Brasil o gado zebu e o coco.

E, se o dito popular “sem eira nem beira” designava o acabamento dos telhados nas casas de quem não tinha posses, dinheiro e poder na era colonial, a casa da família Garcia D’Avila era completa: tinha eira, beira e tribeira.

Seu filho, Francisco Dias de Ávila, deu sequência à construção do castelo em 1624. Mais tarde, a residência ficou conhecida como Castelo Garcia D’Ávila e Casa da Torre.

Por mais de 200 anos, o único forte do Brasil e a única construção baseada no estilo medieval da América Latina foi moradia das famílias mais ricas e donos de escravos.

9. Outras atrações da praia do Forte

Praia do Forte tem uma localização privilegiada para o turista que vem para a Bahia, o paraíso é rodeado por belas praias, que podem ser visitadas pelos turistas que vierem passar mais dias.

Os visitantes além de desfrutarem de todos os atrativos da Praia do Forte podem se deslocar para outras localidades através de passeios programados por agências de receptivo, táxis, transporte próprio ou alugado, ou mesmo ônibus de carreira e vans. Fica ao gosto de cada um.

O turista, hospedado em Praia do Forte, pode visitar Salvador e retornar no mesmo dia, já que a distância é de apenas 80 km do Centro Histórico de Salvador. Passeios imperdíveis podem ser feitos para as praias da Linha Verde.

No sentido estado de Sergipe vale muito à pena conhecer a praia de Imbassaí, que em tupi significa: “caminho do rio”, mas para os moradores esse nome tem outro significado: “encontro das águas”.

O rio corre paralelo ao mar formando um lindo cenário que contrasta com as dunas de areia branca e o coqueiral. A 7 km da Praia do Forte, Imbassaí é admirado pelo seu pôr-do-sol, passeios de caiaque e jangada.

Em Imbassaí a pedida é esticar até Diogo e Santo Antonio. A Vila de Diogo é um lugar tranquilo e peculiar, cuja comunidade sobrevive do artesanato de palha de coqueiro, piaçava e da pesca.

Seguindo mais a frente chega-se a Santo Antonio, uma das atrações da região pela localização semi-deserta e isolada são as extensas dunas e coqueiral.

O passeio continua, a próxima parada é na Costa de Sauípe, local onde está instalado o complexo de Sauípe formado por um grupo de resorts cinco estrelas e luxuosos condomínios de casas.

Os amantes da natureza e adeptos do naturismo podem dar uma parada na praia de Massarandupió, onde existe uma colônia de nudismo. A praia deserta e rústica possuí uma exuberante vegetação. O local é uma atração à parte para os visitantes. Em seguida vêm Subauma e Palame-Baxios, locais tranqüilos com praias extensas.

O destino agora é em direção a Mangue Seco com paradas obrigatórias em Barra do Itariri, Sítio do Conde, Siribinha, Barra do Itapicuru, Costa Azul… Lugares que possuem belas praias e lindos manguezais.

Mangue Seco a 170 km de Praia do Forte é segunda maior atração da região. O local ficou famoso pelo romance de Jorge Amado: “Tieta do Agreste”, pelas praias de beleza agreste, emolduradas por dunas brancas, coqueirais e paisagens primitivas de rio e mar.

Mangue Seco fica localizado no norte do litoral baiano, às margens do rio Real, na divisa da Bahia com Sergipe. Uma das grandes atrações locais são os passeios de buggy pelas dunas e, a vila local, que por ser pouco iluminada, nas noites de lua cheia oferece belo cenário.

Sentido Sul

Preparados e a caminho para a cidade de Salvador as paradas começam pelas praias de Itacimirim, onde o mar é ideal para a prática do surf. Em Guarajuba, há um grande número de condomínio de casas, que compõem um ambiente familiar.

As praias locais, muito tranquilas, são excelentes para o banho. Barra do Jacuípe, onde o rio encontra-se com o mar, local ideal para a prática de Jet-ski.

Chegamos em Arembepe, vila que ficou famosa na década de 70, principalmente pela aldeia hippie que já recebeu visitas ilustres, como Jane Joplin e Mick Jagger.

Vale ressaltar que todos os locais contam com boa infra-estrutura de hospedagem e bons restaurantes.

Guia de Turismo e Viagem da Praia do Forte na Bahia

Hide picture