Home / Nordeste Guia Turismo / Ceará / Serra - Sobral e Ubajara / Serra de Ibiapaba natureza, sabores e esportes radicais

 

Serra de IbiapabaRoteiro na serra de Serra de Ibiapaba no Ceará une natureza, sabores e esportes radicais e o Parque Nacional de Ubajara tem trilhas, grutas e passeio de bondinho.

Região serrana de Ibiapaba na divisa do Ceará com o Piauí abriga nove cidades, entre elas, Ipu, terra da índia Iracema do romance de José de Alencar, Viçosa, Tianguá e Ubajara, que tem um parque ecológico cheio de cavernas e cachoeiras.

A serra de Ibiapaba abriga nove cidades, entre elas, Ipu, Viçosa, Tianguá e Ubajara, que tem um parque ecológico cheio de cavernas e cachoeiras.

A Serra de Ibiapaba é chamada ainda de Chapada de Ibiapaba e Serra Grande.

Além do litoral invejável e da riqueza cultural do Sertão, o Ceará guarda cidades serranas.

A chapada da Ibiapaba, a noroeste do estado, encanta pelo clima agradável, histórias e paisagens naturais.

A cidade de Viçosa do Ceará, a 348 km de Fortaleza, pode ser a porta de entrada para um roteiro surpreendente na região, que inclui as trilhas e grutas do Parque Nacional de Ubajara.

mapa Serra de Ibiapaba

mapa Serra de Ibiapaba

Viçosa do Ceará foi o primeiro município criado na Serra da Ibiapaba, em 1882, e um dos mais antigos do Ceará. Com uma temperatura média de 22°, a cidade é simples e acolhedora.

A arquitetura e cultura de Viçosa unem elementos da colonização francesa e portuguesa e da forte presença indígena. No século XVII, o local recebeu um aldeamento indígena de padres jesuítas e foi moradia do Padre Antônio Vieira por seis anos.

Veja os vídeos sobre a Serra de Ibiapaba no Ceará

Patrimônio histórico de Viçosa no Ceará

Para conhecer e se apaixonar pela cidade de Viçosa na Serra de Ibiapaba, o passeio pode começar na Igreja Nossa Senhora da Assunção.

A igreja é a primeira do Estado do Ceará, foi fundada em 1700 e construída por índios e jesuítas.

Em 2002, a igreja foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e exibe as características originais.Viçosa

No interior do templo de estilo barroco, há detalhes do teto ao chão, como os painéis pintados no período colonial no forro em madeira na capela-mor e os degraus de madeira e piso com antigas tijoleiras.

Vale andar pelas ruas, conversar com os moradores, sentar em bancos de praças e parar para admirar a história de um pequeno lugar que tem parte da história do Brasil.

No Centro Histórico da cidade, estão os casarões tombados pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Nacional (Iphan) como o Sobrado da Marcela, construído em 1890 com recursos enviados por Dom Pedro II, e o Casarão dos Pinhos, com 186 portas e janelas, do tempo em que a cidade ainda era a Vila Viçosa Real da América.

Uma das praças é batizada com o nome de um ilustre filho do lugar, Clóvis Beviláqua. A casa onde o jurista morou hoje é um memorial.

Casario de Viçosa do Ceará, uma das mais antigas cidades do Ceará, e a Igreja do Céu, no fim de 334 degraus.

Não há quem resista a não ir e não levar um utensílio doméstico ou uma peça de decoração do Sítio Tope, a 3 km da sede de Viçosa do Ceará.

A arte de moldar o barro e passar para as outras gerações deu a Dona Francisca, artesã há mais de 50 anos, o título de mestre da cultura popular, concedido pelo governo estadual.

No fim de uma escadaria de 334 degraus, o visitante encontra a Igreja do Céu, ponto mais alto da cidade com 990 m de altitude. No caminho a via sacra esculpida pelo artista plástico cearense João Frutuoso rende ótimos registros fotográficos.

Grutas no Parque Nacional de Ubajara

Ubajara, a 212 km de Fortaleza, é um lugar imperdível para ecoturismo.

O Parque Nacional de Ubajara na Serra de Ibiapaba, a 3 km do centro da cidade de Ubajara, com 563 hectares, abriga grutas, trilhas, cachoeiras e o famoso bondinho que transporta os visitantes a belezas subterrâneas.

Onze cavernas estão catalogadas.

Sala das Rosas

Sala das Rosas

A Gruta de Ubajara é a única aberta ao público e revela galerias e salas com formações de estalactites e estalagmites, como a Pedra do Sino, a Sala das Rosas e a Sala das Sete Maravilhas.

“A maioria dos nomes das pedras e salas tem relação com o desenho das formações rochosas”, explica o guia.

Atualmente, o Parque Nacional de Ubajara conta com 15 guias credenciados que acompanham os passeios. “Temos roteiros para todos os perfis de visitante”, diz o guia.

Para chegar até a gruta, o caminho pode ser feito por trilhas, teleférico (bondinho) e até de bicicleta, se o turista tiver experiência.

O guia indica o roteiro a pé 7 km pelas trilhas até a gruta. “É para quem gosta de turismo de aventura. Exige preparo físico porque toda a trilha é de pedra”, conta.

Com a duração de três horas e meia, o visitante passa pelo mirante da Gameleira, onde há uma das vistas panorâmicas mais lindas de Ubajara, e segue para um banho relaxante na cachoeira do Cafundó com quedas d’água com mais de 70 m de altura. A volta pode ser feita de teleférico.

O Parque Nacional de Ubajara é aberto de terça-feira a domingo, das 8 h às 17 h. O teleférico começa a funcionar a partir das 9 h.

Para chegar de Fortaleza, o visitante deve seguir pela BR-222 até a cidade de Tianguá e depois percorre 17 km pela CE-075. De Ubajara até o Parque, dá para ir a pé numa caminhada de 30 minutos.

Cidade de Ipu no ceará, cenário de José de Alencar

No pé da Serra da Ibiapaba, a cidade de Ipu fica na Serra da Ibiapa, a 294 quilômetros de Fortaleza, e conta ainda com nascentes de rios, cachoeiras, trilhas, fontes de água mineral, artesanato e outros atrativos históricos e culturais.

Entre os pontos que o visitante não pode deixar de conhecer, estão o Bico do Engenho dos Belém, a Casa de Pedra, o Recanto das Cachoeiras, o Museu de Frei Aquino e a Central do Artesanato de Ipu.

Localizada a 2,5 quilômetros do Centro de Ipu, a Bica do Ipu (ou Cachoeira do Véu de Noiva) mede 130 metros e faz parte do cenário que José de Alencar usou para os banhos da “virgem dos lábios de mel”, Iracema. Ela é responsável pelo nome do município que, em tupi, significa “queda d´água”.

Chamada de Véu de Noiva, a Bica do Ipu é uma queda d’água de 130 metros de altura do Riacho Ipuçaba, que despenca da Serra da Ibiapaba, no município cearense de Ipu. A queda d’água de 130 metros de altura é um dos locais mais privilegiados para a prática de rapel.

Em tupi, Ipu significa água que cai do alto. Quem chega a Ipu, não pode deixar de conhecer a Igreja Nossa Senhora do Desterro.

A Igrejinha do Quadro, como é conhecida, foi construída em 1765. Outro monumento conservado é a Estação Ferroviária de 1894 que fazia parte do conjunto arquitetônico da Estrada de Ferro do município de Sobral.

O local foi restaurado e, atualmente, é a sede da Secretaria de Cultura de Ipu, aberta à visitação.
Acesso: pelas vias BR 222, BR 020, CE 257 e CE 187.

Cidade de Tianguá no Ceará tem boa estrutura

Tianguá é uma pacata cidade cearense da Serra da Ibiapaba, que faz fronteira com o estado do Piauí.

Na divisa com o estado do Piauí, a cidade de Tianguá tem boa infra estrutura para receber visitantes.

Por isso, a cidade de Tianguá, a 335 km de Fortaleza, é a melhor opção de hospedagem da região e está a uma distância pequena de Viçosa do Ceará e Ubajara.

Bica do Ipu

Bica do Ipu

Além de receber bem quem passa, Tianguá também conta com atrativos para quem quer ficar.

O município é rico em cachoeiras, trilhas e mirantes.

No Parque Ecológico da Floresta, boas opções são a Bica do Pinga, a 5 km da sede do município, e a Cachoeira de Sete Quedas, a 3 km da sede, um encontro de cachoeiras devido à formação em degraus.

Em Tianguá, há ainda uma pista de decolagem de voo livre com uma altura de 600 metros no Sítio do Bosco, a 8 km do Centro da cidade.

Igreja Matriz de Tianguá

Igreja Matriz de Tianguá

O local é aberto durante todo o dia, conta com uma piscina natural e restaurante, além de área para camping e chalés. 

Por ser uma cidade polo, Tianguá também reúne produtos artesanais vindo de toda a região.

Entre as iguarias mais procuradas, estão rapadura, batidas e doces de frutas. Artesanatos de renda e palha também são muitos vendidos como lembranças da Serra da Ibiapaba e do Ceará.

O Centro de Artesanato do Terminal Rodoviário Governador Virgílio Távora fica no km 310 da BR-222, e no Sítio Córrego, no km 309 do BR-222, próximo ao posto Ibiapaba. 

Pontos Turisticos da Serra de Ibiapaba no Ceará

Pontos Turisticos de Ibiapaba

Maior plantação de rosas do Brasil fica no Ceará, na Serra de Ibiapaba

Clima frio e úmido da região deixa uma área do Nordeste mais colorida. Boa parte das flores encontradas em muitos lugares do Brasil vem do Ceará.

A neblina atravessa a Serra de Ibiapaba, no Ceará, quando a noite cai. Os moradores de Viçosa do Ceará já estão acostumados: durante o inverno, quase todo dia a cidade amanhece encoberta por uma névoa. É o resultado da umidade na serra cearense. Nem parece que se está em pleno Nordeste.

Ao longo do dia o sol vai revelando novas surpresas: água limpa, transparente e em muita quantidade.

Um paraíso escondido entre as pedreiras do Nordeste. A água que brota da terra é a riqueza que atrai os novos conquistadores da região. São pequenos produtores de flores que saíram das grandes cidades para recomeçar a vida.

Na Serra Grande fica a maior fazenda de rosas do país. Outra vantagem do clima frio e úmido é que ele faz bem aos olhos. Por causa dele aquela parte do Nordeste fica mais colorida.

É difícil de imaginar, mas uma boa parte das flores encontradas em muitos lugares do Brasil vem do Ceará. Um mercado em plena expansão.

“Nós estamos com 372 empregados. Todos os meses nós temos contratação”, conta a gerente Gracinha Brito.
Seis mil índios já viveram na Serra de Ibiapaba

Na Serra de Ibiapaba já viveram 6 mil índios de tribos diferentes. Quando chegaram os primeiros colonizadores, começava a nascer o Ceará de hoje.

“A Ibiapaba é uma placenta de onde a nossa civilização se formou, se gerou. Onde a partir do choque de povos primitivos com os colonos europeus nasceu esse homem típico da região”, explica o professor de história Raimundo Alves de Araújo.

Foram muitos os conquistadores: Holandeses, franceses e, finalmente, os portugueses. o motivo da vitória portuguesa? A cruz dos jesuítas.

Os jesuítas chegaram à serra cearense no século 17 e foram recebidos pela tribo dos tabajaras. Durante muitos anos, indígenas e brancos alternaram guerra e paz. Por conta dessas batalhas, a coroa portuguesa levou quase um século para fundar a aldeia de Ibiapaba, a primeira delas, que hoje se chama Viçosa do Ceará.

Guia de Turismo de Viagem da Serra de Ibiapaba, Ipu, Viçosa, Tianguá e Ubajara no Ceará

Bahia.ws – Guia de Turismo e Viagem da Bahia e Nordeste 

 
Share this page
 

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

 
 
 
%d blogueiros gostam disto: