Turismo Religioso na Bahia

Turismo religioso em Salvador da BahiaO turismo religioso em Salvador é feito nas mais de 300 igrejas seculares.

Costuma-se dizer na cidade que existe uma igreja diferente para ser visitada a cada dia do ano.

A igreja do Bonfim, São Francisco, Conceição da Praia, Rosário dos Pretos e Catedral Basílica são alguns exemplos de templos católicos mais visitados por turistas.

A Igreja do Bonfim é conhecida pela fé que os baianos nutrem pelo Senhor do Bonfim. Dentro da Igreja, na Sala dos Milagres, são deixadas fotos e réplicas de partes do corpo humano pelos devotos, em agradecimento a alguma cura, após as promessas e pedidos à divindade.

Na porta da igreja são vendidas as famosas fitinhas do Senhor do Bonfim.

Os devotos costumam atá-las ao pulso com três nós. Para cada nó, faz-se um pedido. A crença reza que, quando a fita se rompe, os pedidos foram atendidos.

No Terreiro de Jesus, Centro Histórico de Salvador, encontra-se a Igreja de São Francisco, considerada uma das mais ricas e belas do País. Na sua construção foram utilizados materiais diversos, da pedra lioz ao ouro, para revestir interiores.

A fachada barroca é de 1723, como também os painéis de azulejos portugueses. Na sacristia estão reunidos 18 painéis à óleo, sobre a vida de São Francisco.

A Festa de Iemanjá é uma das mais populares no Brasil

A Festa de Iemanjá também faz parte do turismo religioso.

Festa de Iemanjá no Rio Vermelho em Salvador da Bahia
Festa de Iemanjá no Rio Vermelho

Pescadores e fiéis festejam em cortejo marítimo, que sai ao mar partir das 16h, em inúmeros barcos, conduzindo flores e outros presentes para a Rainha das Águas. Esta é uma das maiores manifestações religiosas públicas do candomblé.

As ruas do bairro do Rio Vermelho ficam tomadas de pessoas que se aglomeram para assistir à saída das embarcações com as oferendas. Evento que se realiza desde 1974, organizado pelos pescadores da colônia de pesca do bairro.

Iemanjá é frequentemente representada sob a forma latinizada de uma sereia, com longos cabelos soltos ao vento. Chamam-na também de Dona Janaína ou Rainha do Mar.

No ano de 1923 saíram a dois de fevereiro para ofertar presentes à rainha das águas.

Ano após ano os pescadores repetiram essa cerimônia. A princípio era feita em conjunto com a Paróquia do Rio Vermelho, devido ao sincretismo entre a orixá e Nossa Senhora da Conceição.

Nos anos 60 houve uma reação da Igreja Católica contra o culto pagão, fazendo com que a festa perdesse, oficialmente, a devoção à santa católica.

A Igreja de Santana, localizada no mesmo local da festa, sempre mantém as portas fechadas no dia 2 de fevereiro.

Hoje em dia as homenagens a essa orixá começam de madrugada, com devotos do candomblé, da umbanda e do catolicismo colocam as ofertas e bilhetes com pedidos em balaios que serão levados para o alto mar.

Esses balaios são levados por cerca de 300 embarcações, com o saveiro com a oferenda dos pescadores sempre a frente do cortejo.

As pessoas independente de religião comemoram do mesmo jeito, levando flores, perfume, champanhe, velas, mas tem gente que nunca ouviu falar da lenda da Iemanjá. A festa tem a finalidade de agradar a rainha do mar, na esperança que ela possa abençoar cada vez mais os pescadores.

Beatificação de Irmã Dulce deve incrementar turismo religioso na Bahia

Com o anúncio esta semana da beatificação de Irmã Dulce, feito durante coletiva de imprensa realizada na sede das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), no Largo de Roma, em Salvador o número de turistas que procuram Salvador, em busca do turismo religioso promete aumentar bastante, inclusive após a assinatura do Papa Bento XVI no processo, o que deverá ocorrer até o mês de dezembro.

Beatificação de Irmã Dulce
Beatificação de Irmã Dulce

Para o assessor de Memória e Cultura das Obras Sociais Irmã Dulce, Osvaldo Gouveia, não apenas as obras ganharam visibilidade com a beatificação, a beleza da Península Itapagipana e os 11 pontos por onde Irmã Dulce passou, e espalhou sua caridade e amor ao próximo, também serão contemplados recebendo visitantes de todo o mundo.

Um dos exemplos é a Feira de São Joaquim, que está em processo de revitalização, onde os feirantes do local foram os primeiros há colaborar com as obras da religiosa.

A fama sobre as virtudes da religiosa atraem milhares de visitantes todos os anos, interessados em conhecer a vida e obra de Irmã Dulce, expostas no Memorial Irmã Dulce. Apenas em 2009, aproximadamente 35 mil pessoas visitaram o local, sendo 25% de turistas.

Além da exposição, os visitantes podem ampliar a visita até a Igreja da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, onde atualmente se encontram as relíquias da Venerável Dulce, a lojinha, onde podem adquirir camisetas, broches, terços, pulseiras e diversos outros produtos com imagens da freira, e conhecer alguns dos núcleos de atendimento da instituição.

A religiosa é a primeira baiana a se tornar beata e ficar a apenas um passo da canonização. Para ser canonizada, será necessária a comprovação de mais dois milagres intercedidos por Irmã Dulce e reconhecidos pelo Vaticano.

Roteiro de Fé: o turismo religioso em Salvador da Bahia

Apesar de famosa por ser a cidade da música e das festas de verão, época propícia ao banho de mar nos mais de 50 km de praia, a capital baiana reserva ao visitante um roteiro que tem atraído atenção especial: as igrejas seculares.

Seja por motivos religiosos ou interesse pela história e arquitetura, milhares moradores e viajantes circulam diariamente pelas igrejas de Salvador, principalmente as que estão localizadas no Centro Histórico e Cidade Baixa, locais que concentram a maior parte delas.

Separamos algumas dessas igrejas para que você possa conhecer um pouco mais da história e religiosidade deixada pelos nossos colonizadores portugueses:

Principais Igrejas de Salvador BA

1. Igreja e Convento de São Francisco

A igreja e convento de São Francisco esta situada no coração do Pelourinho, a igreja foi escolhida uma das Maravilhas do Barroco Português em todo o mundo e é uma das mais singulares e ricas expressões do Barroco brasileiro.

Igreja e Convento de São Francisco

As estruturas foram erguidas entre os séculos XVII e XVIII e apresenta, em especial a igreja, uma espetaculosa decoração interior com painéis e altar banhado a ouro.

O local também abriga o único conjunto de azulejaria portuguesa que representa a cidade de Lisboa, em Portugal, antes do terremoto de 1755.

Visitação: Os visitantes podem visitar a igreja todos os dias, das 9h às 17h.

Localização: Rua da Ordem Terceira, Pelourinho, Centro Histórico

2. Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos

Construída por escravos, que não tinham um espaço para a celebração das suas crenças, a igreja hoje é espaço para o diálogo intercultural, com belas celebrações que utilizam os elementos da cultura afro brasileira, caracterizada pelo sincretismo envolvendo as religiões Católica e as de matriz africana, como o Candomblé.

Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, Pelourinho

Nas missas, realizadas sempre às terças-feiras, à noite, os atabaques são os instrumentos utilizados para entoar os cânticos.

Visitação: A igreja pode ser visitada de segunda a sexta, das 8h e 17h. No sábado, o local fica aberto até às 12h.

Localização: Largo do Pelourinho, 25, Pelourinho.

3. Igreja da Ordem Terceira do Carmo

Erguida entre 1788 e 1803, fica ao lado da igreja da ordem primeira, na Ladeira do Carmo, no centro histórico de Salvador. Foi construída em estilo barroco, com detalhes góticos.

Igreja Ordem Terceira do Carmo, Pelourinho, Salvador, Bahia.

Nela se encontra a imagem em cedro do Senhor Morto, com duas mil pedras de rubi, esculpida em 1730 pelo escravizado Francisco das Chagas, considerado o “Aleijadinho baiano”. Suas escadarias são, tradicionalmente, usadas para fotografia de formandos universitários.

O convento ao lado foi comprado por uma rede hoteleira e abriga uma das hospedagens mais caras de Salvador.

Visitação: A igreja pode ser visitada de segunda a sexta, das 7h e 17h.

No sábado, o local fica aberto até às 12h. Não há informação sobre custo da visita. Localização: Rua do Carmo, 01, Carmo. Telefone: (71) 3242-0182.

4. Catedral Basílica de Salvador

A atual Catedral Basílica de Salvador é a quarta a ser erguida no mesmo local. Sua pedra fundamental foi lançada em 1657, sendo inaugurada e consagrada em 1672, mas ainda não estava totalmente pronta.

Catedral Basílica de Salvador

Visitação: A Catedral funciona aos sábados e domingos, das 8h às 18h, com taxa de visitação de R$ 5, exceto em horários de missa.

Localização: Praça Terreiro de Jesus, Pelourinho.

5. Venerável Ordem Terceira São Domingos Gusmão

Localizada no Terreiro de Jesus, no Pelourinho, bem defronte à Catedral Basíliza, a Igreja da Venerável Ordem Terceira de São Domingos Gusmão teve sua construção iniciada em 1731.

Venerável Ordem Terceira São Domingos Gusmão

A fachada tem estilo rococó e no interior possui talha neoclássica, que substituiu a primitiva talha barroca.

Visitação: A igreja pode ser visitada de segunda a sexta-feira.

Localização: Largo Terreiro de Jesus, 19, Pelourinho.

6. Igreja da Ajuda

A primeira Igreja da Ajuda foi levantada em 1549, durante o processo de construção da cidade de Salvador pelo governador-geral Tomé de Sousa.

Seus construtores foram os jesuítas, liderados por Manuel da Nóbrega, que levantaram uma igrejinha precária, de paredes de pau a pique e coberta de palha. Situava-se no interior do recinto de Salvador, cidade que, à época, estava cercada por uma paliçada para a proteção dos colonos. Foi dedicada a Nossa Senhora da Ajuda, que era o nome de uma das naus da frota de Tomé de Sousa.

Visitação: A igreja pode ser visitada de segunda a sex-feira, das 8h às 17h, gratuitamente. Localização: Rua do Tesouro, 62-128, Centro.

7. Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia

Construída em 1623, é a uma das paróquias mais antigas da Arquidiocese de São Salvador. Situada no sopé da montanha que liga a Cidade Alta à Cidade Baixa, sua primeira igreja foi feita por determinação do primeiro governador-geral do Brasil, Tomé de Sousa.

Sua atual construção em estilo barroco foi feita toda de pedra-sabão trazida de Portugal.

Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia

Do templo, sai a procissão de uma das principais festas religiosas da Bahia, a Festa do Bonfim, comemorado no mês de Janeiro. O cortejo termina na Igreja do Senhor do Bonfim.

Visitação: Não há informações sobre horários de visita, mas o templo segue a programação litúrgica e de festas da Igreja Católica. Localização: Rua da Conceição da Praia, Comercio.

8. Igreja do Santíssimo Sacramento do Passo

O templo, de notável mérito arquitetônico, foi construído em um terreno de forte declive. Possui planta típica das igrejas baianas do início do século XVIII, com corredores laterais, tribunas e coro no pavimento superior e sacristia transversal.

Igreja do Santíssimo Sacramento do Passo

Existe um ossuário no subsolo. Seus altares e retábulos, em estilo neoclássico, são de meados do século 19. Possui imagens de São José, N. S. da Conceição e N. S. Mãe dos Homens.

Na escadaria do local foram gravadas as famosas cenas da minissérie “O Pagador de Promessas” (1988), baseada na peça teatral homônima de Dias Gomes.

Visitação: Não há informações sobre visitas. Localização: Rua do Passo, 54, Santo Antônio Além do Carmo.

9. Santuário da Bem-Aventurada Dulce dos Pobres

Santuário da Bem-Aventurada Dulce dos Pobres

A freira mais conhecida da Bahia, pelo seu legado de amor aos pobres, tem um santuário todo dedicado a ela.

O local abriga o túmulo do “Anjo Bom do Brasil” e um memorial que conta a história de Irmã Dulce e das suas obras sociais.

Visitação: Aberto à visitação diária, das 7h às 18h. Localização: Avenida Bonfim, 161, Largo de Roma.

10. Igreja de Nossa Senhora dos Alagados e São João Paulo II

Inaugurada pelo Papa João Paulo II, em 1980, a igreja foi construída sob um estilo arquitetônico contemporâneo, revestida por tijolos aparentes que desenham formas retangulares e circulares.

A igreja está situada em um bairro periférico da capital baiana (Alagados), que já foi visitado por três grandes santos dos nossos dias: São João Paulo II, Santa Teresa de Calcutá e a Bem-Aventurada Dulce dos Pobres.

Igreja de Nossa Senhora dos Alagados e São João Paulo II

Visitação: A igreja pode ser vistada nas quintas-feiras entre 7h e 17h. Nos demais dias, o visitante deve agendar pelo telefone (71) 3314-5087.

Localização: Rua Luiz Régis Pacheco, na região dos Alagados, bairro do Uruguai.

 

Bahia.ws é o maior guia de turismo e viagem da Bahia e Salvador

Turismo Religioso na Bahia

Leave a Comment

You have to agree to the comment policy.

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Hide picture