Home / Bahia e Salvador Guia de Turismo / Costa do Dendê / Barra Grande é um dos mais belos pontos de turismo da Bahia

 

Barra Grande na BahiaVoltada para a Baía de Camamu, a praia de Barra Grande é reta, com areias claras e águas mornas e calmas.

O antigo povoado de pescadores na península de Maraú,na chamada Costa do Dendê, ao sul de Salvador, anda seduzindo os visitantes com suas praias de água morna,  passeios de barco e, é bom saber, uma ótima comida.

A vila de Barra Grande é o porto de entrada na península para os visitantes que chegam de barco via Camamu. Tem casas de veraneio, várias pousadas e os principais bares e restaurantes.

Lugar de difícil acesso, Barra Grande encanta quem pisa pela primeira vez a areia de suas ruas ou experimenta a hospitalidade da sua gente calma, que adora tirar uma soneca depois do almoço.

video

A Península de Maraú fica em uma das extremidades da baía de Camamu, Baixo Sul da Bahia. É uma região que recentemente despontou para o turismo, especialmente o ecológico. Na região existem mais de 40 quilômetros de praias pouco exploradas, piscinas em arrecifes de coral, coqueirais, cachoeiras, ilhas e manguezal.

O potencial natural do município de Maraú tem na localidade de Barra Grande o principal núcleo turístico.mapa da peninsula de marau

O município de Maraú é localizado em uma península, denominada Península de Maraú, zona fisiográfica chamada de região cacaueira.

O município é rico em minerais, destacando-se o xisto betuminoso o gesso e o petróleo. Quanto ao petróleo, ainda não foi jorrado, mas se sabe da sua existência, segundo relatórios de geólogos de renome que visitaram o município, como Dr. Luiz Gonzaga de Campos e outros de várias nacionalidades.

Veja o mapa da Costa do Dendê 

Passeios

Na região a programação de passeios é bem variada, alem das belas praias e da Baía de Camamú com suas ilhas, você encontra programações mais radicais, como Raffiting, Off-Road, Rappel, Mergulho etc…

Fazer um passeio marítimo pelas ilhas da Baía de Camamu e um passeio em veículos 4×4 pelas trilhas, lagoas, praias e mirantes da península quase obrigatório! Assim você não fica restrito aos mais de 40km de lindas praias.

História

A origem do município, foi uma aldeia de índios denominada “Mayrahú”, fundada em 1705 pelos frades capuchinhos italianos. A tribo indígena existente, chamava-se “Mayra”. Não se sabe a época do seu desaparecimento e nem a que ramo pertencia.

Por ordem da Coroa, o bandeirante João Gonçalves da Costa, construiu uma estrada denominada “Estrada da Nação”. O movimento por essa estrada, concorreu para o contrabando do “Quinto de Ouro”, o que deu origem à criação do povoado dos Funis, local onde a estrada bifurcava em direção à Camamu e a vila de Barra do Rio de Contas, hoje cidade de Itacaré.

Para dificultar o contrabando que passava pela estrada que dava no sertão da fazenda Ressaca, foi edificada nesse local, a cidade de Vitória da Conquista.    Assim, Mayrahú teve o seu “Registro de Impostos”, forçado pelas necessidades de arrecadação do “Quinto da Coroa”.

O distrito de Mayrahú, foi criado em 1717, e a capela construída pelos frades, foi elevada à categoria de freguesia, com o nome de “São Sebastião de Mayrahú”, pelo arcebispo D. Sebastião Monteiro da Vide, no mesmo ano.

A freguesia foi elevada à categoria de vila, por ordem do Governo Provisório que se seguiu ao de D. Antonio de Almeida Soares e Portugal, 3º Conde de Avintes, em 17 de junho de 1761, sendo instalada pelo Ouvidor-Geral da Bahia, Dr. Luiz Greire Deveras há 23 de julho do mesmo ano. Nesta mesma data, foi criada a Vila de Maraú.

Pelo Decreto-Lei nº 10724 de 30 de março de 1938, a vila foi elevada à categoria de cidade.

Nos anos de 1860 à 1864, o Reino Unido da Inglaterra, ganhou uma concorrência para a instalação de uma usina de destilação de querosene, extraído da turfa a partir da nafta, e também, para a extração do xisto betuminoso, em Maraú.

A empresa foi instalada às margens do rio Maraú.      A versão popular é de que a usina chamava-se “John Grant”, mas o roceiro, encontrando dificuldades com a pronúncia, abrasileirou para “João Branco”.

Instalada a usina de João Branco, com todos os requisitos de uma grande refinaria, custou à Coroa Inglesa 600 mil libras esterlinas. A mesma, empregou cerca de 500 operários, possuía uma estrada de ferro interna, por onde rodavam duas locomotivas.

Dizem que uma delas é a locomotiva nº12, que fica em frente ao DETRAN, em Ilhéus. O Ilhéus Hotel, segundo dizem, foi construído com tijolos refratários das cinco chaminés da fábrica de João Branco.

Bahia Salvador Guia de Turismo e Viagem

Guia de Turismo e Viagem de Barra Grande na Baía de Camamu

 
Share this page
 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

 
 
 
%d blogueiros gostam disto:
Hide picture