Biblioteca Pública Benedito Leite

Biblioteca Pública Benedito Leite

A Biblioteca Pública Benedito Leite é a segunda biblioteca mais antiga do País.

Desde a sua criação, em 3 de maio de 1831, sempre recebeu notáveis da literatura e das ciências.

O acervo do órgão do Governo do Estado, ligado à Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (SECTUR), guarda preciosidades, como o manuscrito de Machado de Assis enviado a Arthur Azevedo, a maior expressão do teatro brasileiro, assim como outros documentos, hoje digitalizados.

A Biblioteca Pública Benedito Leite está instalada em um prédio de estilo neoclássico, construído no que antes era chamado Campo de Ourique, que constituía um dos limites urbanos nos primeiros séculos da cidade. 

O prédio foi erguido no terreno em que estava localizado o Quartel do 5º Batalhão de Infantaria, em 1797.

A construção foi projeta pelo engenheiro maranhense Antônio Alexandre Bayma e inaugurada em 12 de setembro 1951, no governo de Sebastião Archer da Silva, que prometeu “não descer as escadas do palácio sem deixar a nossa única livraria pública em condições de honrar os nossos foros de povo voltado às atividades do espírito”.

Em estilo clássico, com cúpula central, alas semicirculares e vãos de janelas encimados por frontões, colunas do átrio coroadas com capitéis coríntios, possui no seu interior salões de leitura para o público e um auditório no 4º pavimento, que foi reformado e modernizado. Dos terraços do 4º pavimento tem-se uma bela vista do centro da cidade. 

Biblioteca Pública Benedito Leite

Cartão postal com imagem da Biblioteca Pública Benedito Leite

Primeiras instalações – a Biblioteca Pública Benedito Leite criada pelo então presidente da província, Cândido José de Araújo Viana, em 3 de maio de 1831, tendo como origem uma subscrição popular e voluntária e recebendo o nome de Biblioteca Pública Estadual, a Casa até hoje abriga acervo de livros, revistas, obras de arte, coleções de jornais maranhenses datados desde a Independência (1822) e manuscritos do século XVIII.

A homenagem ao ilustre maranhense Benedito Leite data de 1958.

Ponto de encontro de jornalistas, escritores, professores, bibliotecários, entre outros intelectuais, a Biblioteca Pública Benedito Leite desempenha um papel de relevância cultural no Maranhão e no país.

Ali foram proferidas as famosas Conferências da Universidade Popular do Maranhão e fundadas a Oficina dos Novos, a Sociedade Cívica das Datas Nacionais e a Academia Maranhense de Letras.

Endereços – A primeira sede da Biblioteca Pública Benedito Leite foi o Convento do Carmo, na Rua do Egito, onde foi inaugurada em 3 de maio de 1831.

No ano de 1851, o espaço foi anexado ao Liceu Maranhense. Depois, pela Lei nº 752 de 1º de junho de 1866, ficou sob a guarda do Instituto Literário Maranhense.

Em 10 de junho de 1872, passou aos cuidados da Sociedade 11 de Agosto, com instalações no pavimento superior de prédio da Rua do Egito, onde depois funcionou a Assembleia Legislativa do Estado.

Já no dia 4 de abril de 1883, foi aberta ao público na Igreja da Sé, retornando ao Convento do Carmo em 1886, onde permaneceu abandonada e esquecida.

No ano de 1892, é transferida para a Rua Afonso Pena. Três anos após, o acervo foi levado para o prédio da Rua da Paz, hoje Academia Maranhense de Letras, onde reabriu ao público em 25 de janeiro de 1898, sob a direção de Antônio Lobo.

No período de 1914 até 1927, retornou ao prédio da Rua do Egito para a parte térrea, sendo novamente transferida para o casarão da Rua da Paz.

Guia de Turismo e Viagem de São Luís do Maranhão

 
 

Deixe uma resposta