Home / Nordeste Guia Turismo / Piauí / Teresina / Teresina surpreendente vitalidade cultural e animada vida noturna

 

Teresina PiauíTeresina esta situada a 350 quilômetros da costa, Teresina compensa a distância do mar pela presença dos rios Poti e Parnaíba, que se encarregam de refrescar um pouco o clima da cidade, cuja temperatura média fica em torno dos 30˚C.

Surgida no século XVIII , a velha Vila do Poti (o nome atual , em honra à imperatriz Teresa Cristina, veio junto com a elevação a capital, em 1852) ergue-se em uma região conhecida por Chapada do Corisco – uma vez que com freqüência raios “coriscam” os céus da cidade, anunciando a chegada da chuva.

Teresina é plana, com ruas paralelas e perpendiculares, num traçado urbano de fácil circulação. Diferentemente das demais capitais nordestinas, Terezina recebe poucos turistas.

Quem chega em Teresina, entretanto, tem o privilégio de usufruir de mais de trinta parques urbanos, em um centro de surpreendente vitalidade cultural e animada vida noturna, que transcorre em seus muitos bares e botecos. A agenda de eventos pode ser obtida na Casa da Cultura municipal.

Veja o mapa de Teresina no Piauí

Veja o mapa do Piauí

Atrações Turísticas de Teresina no Piauí

PRAÇA PEDRO II

PRAÇA PEDRO IIA praça é o ponto da efervescência cultural de Teresina. Epicentro da boemia e do encontro de artistas da cidade, nela fica o Teatro 4 de Setembro, construído em 1894 e que atualmente abre suas portas todas as semanas para a apresentação de peças teatrais por preços populares.

O antigo Cine Rex, inaugurado em 1939, preserva a fachada art déco original.

Visita obrigatória, a Central do Artesanato reúne trabalhos de arte popular, com destaque para as talhas em madeira, as redes e as peças de opala vindas da cidade de Pedro II, assim como os móveis de buriti assinados por Abrahão Cavalcante.

CASA DA CULTURA EM TERESINA

Casa da Cultura de TeresinaInstalada num bem cuidado casarão de 1870, a Casa da Cultura preserva a memória da cidade por meio de fotografias, quadros, moedas e outros objetos organizados em sete salas.

Também há peças relacionadas à vida de teresinenses ilustres, como o jornalista Carlos Castelo Branco (1920-93), que doou ao centro sua biblioteca, disponível para consulta, e o fotógrafo José de Medeiros (1921-90), com exposição de suas belas imagens.

No espaço, onde são promovidas oficinas e cursos, pode-se obter a programação dos eventos culturais de Teresina. Rua Rui Barbosa, 348, Centro.

MUSEU DO PIAUÍ EM TERESINA

MUSEU DO PIAUÍ

MUSEU DO PIAUÍ

O Museu do Piauí “Odilon Nunes”, fundado em 1934, surgiu como uma seção do Arquivo Público do Piauí, sob a orientação do professor Anísio Brito.

Mas em 1980, o prédio passou por uma restauração e tornou-se sede apenas do Museu do Piauí, organizado em convênio com a Fundação Joaquim Nabuco de Recife.

O museu está instalado no antigo casarão do comendador Jacob Manoel Almendra, construído em 1859. Esse prédio foi palácio da justiça e sede do governo provincial e hoje abriga o mais importante e variado acervo histórico do Estado. Lá é possível encontrar peças do período pré-histórico, colonial, moderno e contemporâneo.

Há salas para visitação com exposições permanentes sobre os seguintes temas: “A Terra”; “O Homem – Arqueologia e Índio”; “Piauí Colônia”; “Piauí Império”; “República Velha”; “República Nova”; “Arte Sacra”; “Arte Popular”; “Comunicações”; “Heráldica”; “Numismática”; “Pinacoteca”; “Galeria dos Governadores”. O acervo que hoje se encontra em exposição é de, aproximadamente, 2 mil peças.

A peça que mais atrai a atenção de seus visitantes é a tela de dom Pedro II, do ano de 1875, pintada por Victor Meirelles de Lima.

Há também a pia batismal de madeira do século XVI, que pertenceu à capela do brejo de Santo Inácio (fazendas nacionais de Oeiras). A pia era usada pelos jesuítas para batizar os índios, sendo uma das peças mais antigas em exposição.

Uma outra peça muito rara e de grande valor histórico é urna funerária de cerâmica que contém ossos de uma criança com data aproximada de 3 mil anos.

Em outubro de 1999, o museu passou a chamar-se Museu do Piauí “Odilon Nunes”, em homenagem do governo estadual ao grande historiador amarantino, por ocasião do centenário do seu nascimento. Pça. Mal. Deodoro da Fonseca, s/n , Centro.

PALÁCIO KARNAK EM TERESINA

PALÁCIO KARNAK TERESINAO Palácio Karnak é a edifício-sede oficial do Governo do Piauí. O palácio tem sua fachada principal branca inspirada em uma arquitetura clássica e seu nome em um templo de mesmo nome que existiu no Antigo.

Foi residência da elite imperial, passou a ser a sede do Governo em 1926, por ato do então governador Matias Olímpio.

Em reforma na década de 1970, ampliou os anexos leste e oeste, salão verde, salão de reunião, centro de imprensa e ganhou jardins de Burle Marx que projetou espelho d’água com diversas especiés de palmeiras como a nativa carnaúba.

Fica próximo à Igreja São Benedito. Nos períodos de Natal o palácio e todo decorado e iluminado inclusive os jardins e aonde se apresenta a Orquesta Sinfônica do Piauí. Também é onde acontece várias homenagens, almoços do governador, decisões e encontros políticos. Av. Antonio Freire, 1450, Centro.

CLUBE DOS DIÁRIOS EM TERESINA

Seus animados bailes de Carnaval fizeram história na década de 1960. Hoje é um centro cultural escolhido como ponto de encontro entre escritores, artistas plásticos, cantores e jornalistas de Teresina.

Nele funciona a sala de cinema Torquato Neto, com sessões gratuitas ao meio-dia. Uma lojinha oferece os lançamentos mais recentes em CDs e livros assinados por autores locais. Rua Álvaro Mendes, s/n, Centro.

OFICINA DA PALAVRA EM TERESINA

Espaço cultural com galeria de arte de artistas piauienses, biblioteca, auditório e salas de aula, a Oficina da Palavra edita todo mês um calendário poético, publicação gratuita, que sempre apresenta um poeta e um artista.

O local também organiza os “Encontros Inevitáveis”, saraus literário-musicais promovidos na última quarta-feira de cada mês, a partir das 20 horas, enfocando a obra de poetas brasileiros e internacionais. Rua Benjamin Constant, 1400, Centro.

NAS MARGENS DO RIO POTI EM TERESINA

RIO POTI EM TERESINATodos os dias, ao cair da tarde, a avenida Raul Lopes recebe centenas de pessoas em busca de brisa fresca e lazer. No calçadão na beira do rio Poti, elas correm, caminham, pedalam e namoram.

Quando a noite cai, os quiosques começam a receber de empresários a estudantes para um happy hour que, não raro, segue noite adentro.

O Caneleiro, nome que homenageia a árvore-símbolo de Teresina, é uma opção agradável para experimentar um clássico da cidade: cerveja gelada com uma gostosa paçoca (em frente no Shopping Riverside).

No Teresina Shopping, o turista encontra boa oferta de serviços e lojas (av. Raul Lopes, 1000, Bairro dos Noivos).

PARQUE ENCONTRO DOS RIOS EM TERESINA

O parque foi criado exatamente no ponto em que o rio Parnaíba acolhe o rio Poti, antes de seguir viagem rumo ao litoral. Uma grande estátua do pescador Crispim – o “Cabeça de Cuia”, personagem do folclore piauiense, que, segundo a lenda, está condenado a vagar pelo rio até conseguir devorar sete virgens chamadas Maria – ergue-se no local.

Árvores frondosas margeiam o Parnaíba, onde se vêem as canoas coloridas dos pescadores do bairro Poti Velho lançando redes à água. Av. Boa Esperanҫa, s/n, Poti Velho.

VIOLEIROS

Na noite de Teresina , violeiros costumam tocar em bares e restaurantes, em apresentações que se estendem por toda a madrugada.

A Casa do Cantador, um boteco de madeira muito simples e cercado de frondosas mangueiras, serve de ponto de encontro para todos eles. As reuniões musicais ocorrem todas as noites, mas são mais concorridas às quartas-feiras (rua Lúcia, 1419, Vermelha).

Guia de Turismo e Viagem de Teresina no Piauí

 
Share this page
 

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

 
 
 
%d blogueiros gostam disto: