Home / Ilhas do Brasil / A Ilha de Itamaracá oferece praias de águas calmas e piscinas naturais

 
Ilha de ItamaracáA Ilha de Itamaracá é uma ilha no litoral do estado de Pernambuco, no Brasil.

Constitui-se também em um município, integrante da Região Metropolitana do Recife. Fica separada do continente pelo canal de Santa Cruz.

Turismo na Ilha de Itamaracá

Distante cerca de quarenta quilômetros do Recife, a ilha oferece ao turismo praias de águas calmas, com coqueiros, piscinas naturais, recifes e bancos de areia. Também é procurada para a prática de esportes náuticos.

Veja o vídeo sobre a Ilha de Itamaracá

No passado – século 17 -, Itamaracá foi palco de lutas entre portugueses e holandeses.

As disputas giravam em torno do Forte Orange, construído em taipa, em 1631, e reconstruído em pedra, em 1654, quando ganhou diversos canhões. Cartão-postal da cidade, o patrimônio passou anos abandonado.

Projeto Peixe-Boi na Ilha de Itamaracá PE

Projeto Peixe-Boi

Hoje, abriga lojas de artesanato, capela e museu. Das muralhas, avista-se toda a praia, além da Coroa do Avião, uma encantadora ilhota de areia, com águas cristalinas e palhoças que funcionam como bares. Acessível por barco ou jangada, Coroa é perfeita para caminhar, petiscar e jogar conversa fora.

Coroa do Avião

Coroa do Avião

Com onze praias, Itamaracá oferece opções variadas. Algumas são tranquilas, como as afastadas do Fortinho, do Sossego e Pontal da Ilha; outras movimentadas, como Quatro Cantos, Baixa Verde, Jaguaribe e Pilar – esta última é a mais badalada.

Além das reservas ecológicas com remanescentes da Mata Atlântica, abriga o Centro de Preservação do Peixe-Boi-marinho.

No extremo sul da Ilha ergue-se o Forte Orange, construído pelos neerlandeses no contexto da segunda das Invasões holandesas do Brasil.

pa da Ilha de ItamaracáVizinha ao forte localiza-se uma das comunidades mais antigas de Pernambuco, a Vila Velha, hoje a população local obtém sua renda em sua maioria através do turismo.

Em Vila Velha, povoado que surgiu no século XVI e foi sede administrativa da capitania de Itamaracá, vê-se um aglomerado de casas simples, de alvenaria, erguidas próximo da antiga igreja de Nossa Senhora da Conceição (rua João Paulo II, s/n), e ruínas do que teria sido a igreja de Nossa Senhora dos Pretos.

igreja de Nossa Senhora da Conceição da ILHA DE ITAMARACÁ

igreja de Nossa Senhora da Conceição

Como o local é elevado, avistam-se o mar, o canal de Santa Cruz e a Coroa do Avião.

Ainda ao sul da ilha encontra-se a ilhota conhecida como Coroa do Avião, ilha esta que faz parte do município de Igarassu.

Constitui-se em um banco de areia que se formou por força das correntes marinhas e que atualmente abriga, além de pequenas barracas que servem comida regional, a Estação de Estudos sobre Aves Migratórias e Recursos Ambientais da Universidade Federal de Pernambuco, voltada para o estudo das aves migratórias.

Além das atrações turísticas, o município abriga três presídios: um para deficientes mentais (HCTP), um de alta segurança (PPBC) e um de regime semi-aberto (PAISJ).

História da Ilha de Itamaracá

Forte Orange na Ilha de Itamaracá

Forte Orange

A ilha de Itamaracá já deu nome a uma das capitanias hereditárias do Brasil e foi palco de disputas coloniais no século 17 – quando os invasores holandeses construíram o Forte Orange, mas acabaram expulsos pelos portugueses.

Hoje, Itamaracá abriga o Ecoparque Peixe-Boi & Cia, um importante parque de proteção ao animal marinho e vive um processo de valorização econômica e turística (as três unidades penitenciárias instaladas na ilha estão sendo desativadas).

Os primeiros habitantes seriam náufragos, havendo também registros sobre a passagem dos portugueses João Coelho da Porta da Cruz e Duarte Pacheco Pereira, em 1493 e 1498, respectivamente.

Em 1526, já havia uma capela dedicada a Nossa Senhora da Conceição, de responsabilidade do padre Francisco Garcia, na Vila Velha, localizada à margem esquerda do Canal de Santa Cruz.

A ilha prosperava à sombra da economia açucareira. Em 1630, a Vila Velha possuia cem casas e uma Santa Casa de Misericórdia.

Os holandeses invadiram a ilha em 1631 e lá ergueram o Forte Orange, na entrada Sul do canal de Santa Cruz, construído em taipa de pilão.

O forte tinha este nome em homenagem ao Príncipe holandês Frederico Henrique de Orange, tio de Maurício de Nassau. A Ilha de Itamaracá serviu de celeiro aos holandeses. Posteriormente, o forte passou a ser chamado Forte de Santa Cruz, já sob domínio português.

Em 1763, o rei dom João V comprou a ilha para a Coroa Portuguesa por 4 000 cruzados.

O distrito foi criado em 1 de maio de 1866, pela Lei Provincial 676. A emancipação da Ilha de Itamaracá deu-se em 1959, mas só foi efetivada em março de 1962.

Atualmente, a sede do município fica no Pilar, elevado à categoria de vila em 1831.

Geografia da Ilha de Itamaracá

A sua população estimada em 2010 é de 21.884 habitantes.

O município situa-se na unidade geoambiental das Baixadas Litorâneas do Nordeste, apresentando restingas e mangues. A vegetação nativa é composta por floresta perenifólia e de restinga.

Itamaracá insere-se no domínio do grupo de bacias de pequenos rios litorâneos. Tem como principais tributários os rios Paripe e Jaguaribe. Os cursos d’água são perenes e de pequena extensão. Conta ainda com a lagoa Pai Tomé.

Guia de Turismo e Viagem da Ilha de Itamaracá em Pernambuco

 
Share this page
 

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

 
 
 
%d blogueiros gostam disto: