Cariri é um lugar privilegiado com as belezas da Chapada do Araripe

Barbalha - Festa de Santo Antônio
Barbalha – Festa de Santo Antônio

O  região do Cariri no Ceará é um lugar privilegiado, no que diz respeito a sua localização, pois estrategicamente localizado no sul do Ceará, faz divisa com três estados: Piauí, Pernambuco e Paraíba.

Localizada ao Sul no Estado, na região do Cariri, a Chapada do Araripe se encontra na divisa entre o Ceará e Pernambuco e é uma reserva ecológica que reúne fontes naturaisgrutas e sítios paleontológicos.

Chapada do Araripe é uma reserva ecológica no Sul do Ceará.

O Cariri Cearense além de possuir atrativos naturais e culturais de imensa beleza e importância, o que o torna um polo de turismo ecológico e cultural.

E essa região nordestina, contem um clima cultural, praticamente genuíno, e no seu entorno com as belezas naturais da Chapada do Araripe e sua floresta nacional; com a religiosidade e a fé ao Padre Cícero; com seus museus; seus sítios mitológicos e paleontológicos; seus projetos sociais; além de sua rica culinária e seu artesanato.

O que fazer no Cariri?

Mapa da região do Cariri no Ceará
Mapa da região do Cariri no Ceará

Com amplo potencial turístico, a cidade se destaca na região do Cariri por possuir atrativos de diversas naturezas.

Esta atividade gera grande renda para o município.

Turismo ecológico

Por situar-se na encosta da Chapada do Araripe, a cidade conta com uma vasta área de floresta nativa repleta de fontes de água mineral e trilhas ecológicas.

Além da área de proteção ambiental da Chapada do Araripe, reservas ecológicas particulares são encontradas em todo o pé da serra na cidade conferindo proteção e preservação ao importante ecossistema da flora e fauna regional, inclusive para espécies ameaçadas de extinção.

Parque ecológico do Riacho do Meio

Abriga um sítio ecológico do Geopark Araripe onde se encontram fontes e bicas de água mineral e trilhas demarcadas para visitação.

Mapa da região do Cariri no Ceará
Mapa da região do Cariri no Ceará

Não é necessária autorização prévia para a visitação do local, mas se indica companhia de guia turístico, a despeito da sinalização nas trilhas ser boa, suficiente e estar em bom estado de conservação.

Balneário do Caldas

Situado no distrito de Caldas a mais de 700 metros de altitude, é um local de lazer com piscinas, cascatas, restaurantes e quadras esportivas.

A Estância hidromineral possui duas fontes naturais de águas termais. Chalés de veraneio e o Hotel das Fontes completam a estrutura do Balneário.

Arajara Park

Localizado no distrito de Arajara, o parque temático está a 920 metros acima do nível do mar. Piscinas, toboáguas e equipamentos de lazer além de restaurante e bares estão à disposição do turista e da população local. Conta, ainda, com uma reserva particular que possui trilha ecológica aberta à visitação.

No passeio é possível observar o Soldadinho do Araripe, ave típica da região, em seu habitat natural. A trilha termina na Gruta do Farias, uma das principais fontes de água mineral da Chapada do Araripe. Foi inaugurado em 21 de abril de 2002 e licenciado pela SEMACE e IBAMA.

Turismo histórico

Barbalha se destaca na região por possuir um vasto e preservado sítio arquitetônico composto por diversos prédios públicos e particulares, o que atrai estudiosos e interessados no turismo histórico.

Contando com cerca de 40 prédios, o casario do Centro Histórico de Barbalha se caracteriza pela arquitetura do período imperial com prédios construídos nos séculos XVIII e XIX.

O Centro Histórico de Barbalha se localiza no centro da cidade, numa área que compreende aproximadamente 20 ruas.

Seus limites vão desde o entorno do largo do rosário até o largo do Colégio Nossa senhora de Fátima e da Rua do Vidéo à Praça Engenheiro Dória (Estação). Além das históricas Igreja Matriz de Santo Antônio e Igreja de Nossa Senhora do Rosário, prédios como o antigo Casarão Hotel e Palácio 3 de Outubro fazem parte da composição.

Turismo rural

A zona rural da cidade conta com várias comunidades que vivem basicamente da agricultura, com destaque para o cultivo da cana-de-açúcar e feitura da rapadura.

A visitação aos engenhos e a oportunidade de conhecer e experimentar o doce típico da cidade no momento em que está sendo feito, atrai muitas pessoas aos sítios, principalmente comitivas de romeiros, que vêm de Juazeiro do Norte nas épocas em que a peregrinação religiosa atinge seu pico.

É muito comum ônibus lotados visitarem engenhos no Sítio Venha-Ver.

Tem destaque o corredor rural que vai do sítio Venha-ver até o distrito de Estrela, onde se concentra a maioria dos engenhos da região.

Turismo religioso

A religiosidade do povo do Cariri vem do povoamento conduzido pela ordem dos Capuchinhos.

Sua principal característica é a mística do encanto e da fé. A romaria e o culto ao Padre Cícero, em Juazeiro, são a maior manifestação da região.

No município de Barbalha, durante a festa de Santo Antônio, ou como é popularmente conhecida a “Festa do Pau da Bandeira”, milhares de fiéis vão às ruas para homenagear o padroeiro e para acompanhar a passagem de um grande tronco de madeira que é carregado por centenas de devotos.

Outra manifestação de fé é o ritual dos Penitentes com os Caretas, seguidores de auto-flagelação como pedido de perdão pelos pecados cometidos.

Cultura e folclore

Tida como um dos maiores celeiros de cultura popular do interior do Brasil, atrai milhares de turistas todos os anos durante os festejos do padroeiro Santo Antônio.

São vários os grupos folclóricos e folguedos juninos compostos por cidadãos das diversas comunidades rurais e dos bairros da cidade. A preocupação de passar as tradições culturais de pai para filho torna a inserção de jovens nos grupos folclóricos uma prática comum do local. Os jovens são ensinados pelos “mestres” que coordenam os grupos.

Festa de Santo Antônio

O maior festejo popular da cidade acontece no mês de junho e é alusivo ao padroeiro da cidade, Santo Antônio.

A festa dura em média 15 dias e é uma das maiores festas juninas do Brasil. Além da realização da tradicional trezena religiosa em homenagem ao santo padroeiro, ocorrem os festejos sociais como a quermesse e shows de grande porte no Parque da Cidade.

A festa tem início com o dia do Pau da Bandeira, tradição local com mais de 100 anos de existência. Neste dia, o primeiro da Festa de Santo Antônio, os homens devotos vão às cinco horas da manha em busca do mastro, previamente escolhido e preparado, em um sítio localizado no pé da serra há 6 km de distância do centro da cidade.

Acompanhados por uma multidão de pessoas, os homens trazem o Pau da Bandeira nos ombros até a frente da Igreja Matriz de Santo Antônio para hastear a bandeira do padroeiro e simbolizar que a cidade está em festa.

Geossítio Pedra Cariri

A abundância de fósseis é tanta na Chapada do Araripe, que pequenos exemplares deles podem ser vistos nas paredes e no chão das casas da região, graças ao costume de utilizar o calcário laminado, conhecido como Pedra Cariri, para o acabamento.

Geossítio Pedra Cariri

Há casas inteiras construídas com estas pedras, que movem boa parte da economia do Cariri Oeste, especialmente as cidades de Santana do Cariri e Nova Olinda.

Sendo assim, nada mais natural do que o Geopark Araripe ter escolhido um talhado para exemplificar esta cultura econômica, e ainda mostrar a riqueza presente nas rochas.

Casa centenária, construída em Pedra Cariri – Santana do Cariri
Casa centenária, construída em Pedra Cariri – Santana do Cariri

Não bastasse, há um trabalho cuidadoso em conscientizar os trabalhadores, que vez ou outra acabam achando ricos exemplares. Muitos destes estão no Museu de Paleontologia de Santana do Cariri.

São flores, plantas e peixinhos que pelo encantamento dos anos, viraram pedra.

Uma dica é atravessar a rua e ver o que está acontecendo com a extração em um mega talhado na frente do geossítio. Há caminhões que recolhem toneladas de pedras, e um grande cemitério de restos de calcário quebrado.

O talhado fica na estrada para Santana do Cariri. São 3 km entre o centro de Nova Olinda e o geossítio. Não fosse o sol que castiga, dava para ir a pé.

Principais cidades do Cariri

Principais cidades da região do cariri cearense
Principais cidades da região do cariri cearense

1. Barbalha

Barbalha é um município brasileiro do estado do Ceará. Localiza-se na Região Metropolitana do Cariri, Mesorregião do Sul Cearense.

Distante 553 quilômetros da capital do estado, Fortaleza.

Junho é um bom mês para conhecer Barbalha! É época da Festa do Pau da Bandeira, tradicional da região.

A festa é reconhecida como Patrimônio Cultural Brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e conta com diversas manifestações culturais na Cidade.

É possível, também, visitar o Arajara Park (parque aquático) e o Balneário Caldas, com fontes e piscinas naturais de água mineral.

Tem ainda Engenho Tupinambá, Teleférico e casas/museus dos mestres e mestras de Barbalha. Uma experiência preciosa pode ser vivenciada no Sítio Cabeceiras, onde vivem as Incelenças e os Penitentes, mulheres e homens que cantam
em velórios.

2. Missão Velha

Missão Velha possui patrimônios naturais como a cachoeira de Missão Velha e pontos onde há uma grande concentração de fósseis. Por esses e outros motivos, Missão Velha faz parte do único Geopark da América Latina, criado pelo governo do estado do Ceará.

3. Nova Olinda

Nova Olinda é uma cidade e um município do estado do Ceará, Brasil. Localiza-se na microrregião do Cariri, mesorregião do Sul Cearense, Região Metropolitana do Cariri. O município tem cerca de 13 mil habitantes e 291 km². Foi criado em 1957.

A cidade de Nova Olinda reserva aos visitantes boas opções: arqueologia, folclore, artesanato e a natureza. Preserva ainda a Igreja do Padroeiro São Sebastião, exemplo da bela arquitetura de suas construções.

Nova Olinda reúne os mais diversos encantos. 

Na Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri, se conversa a memória dos índios Kariri. O local resgata a história dos povos primitivos da região, além dos mitos e das lendas.

Na Cidade, há também o Geossitio ponte de pedra, em que é possível visualizar inscrições rupestres.

4. Santana do Cariri

Inicialmente chamada de Brejo Grande, a localidade era habitada pela tribo indígena denominada de Buxixés. Suas origens remontam ao final do século XVIII, quando colonizadores procedentes da Casa da Torre, na Bahia, pediram e obtiveram terras nas margens do Riacho Brejo Grande, hoje rio Cariús.

Diante das condições geologicamente favoráveis à pecuária e, sobretudo, à agricultura, houve rápido desenvolvimento do reduto, atraindo novos moradores. Com o auxilio de moradores, foi erguida uma capela em louvor à Senhora Santana, local da atual Matriz. A elevação do arraial à categoria de Vila ocorreu em 1885.

O Município de Santana do Cariri compreende uma base territorial de 856km e e localiza-se a 550km de Fortaleza. Possui uma população de 17.181 habitantes, segundo censo do IBGE realizado em 2010.

É conhecido por possuir um patrimônio fossilífero excepcional.

Abriga o Museu de Paleontologia da Universidade Regional do Cariri- URCA e atrai anualmente mais visitantes do que a quantidade de moradores existente no município.

A cidade destaca-se, também, pela produção do artesanato com a temática paleontológica, com a reutilização de materiais como: garrafas pet, latinhas de refrigerante ou até mesmo o rejeito das lavras de calcário. Todos esses fatores contribuem para que Santana do Cariri tenha recebido o títulode Capital Cearense da Paleontologia, do Governo do Estado do Ceará.

O Museu de Paleontologia reúne mais de 7.000 peças fósseis, datadas de períodos geológicos como o jurássico e o cretáceo, entre 145 e 100 milhões de anos atrás. As réplicas de seres vivos que habitaram nosso planeta, antes da existência do homem, podem ser adquiridas no museu.

Do Pontal da Santa Cruz, os turistas podem observar um cenário privilegiado de Santana do Cariri e do vale, além do pôr-do-sol da vista panorâmica oferecida pelo mirante, como um dos mais belos cartões postais do Cariri.

Pontos Turísticos de Santana do Cariri

– Museu de Paleontologia da URCA

O Museu de Paleontologia da Universidade Regional do Cariri (URCA) de Santana do Cariri foi fundado em 1985 pela prefeitura municipal de Santana do Cariri, sendo o então prefeito municipal, Plácido Cidade Nuvens. Em 1991, o Museu foi doado à Universidade Regional do Cariri – URCA, passando a integrar a estrutura da universidade como núcleo de pesquisa e extensão.

A partir de 1997, através do projeto de implantação do Complexo Paleontológico da Chapada do Araripe, o Museu tornou-se propulsor da pesquisa paleontológica, na divulgação da ciência e no apoio à cultura do Cariri.

Também, através do Núcleo de Difusão Tecnológica, o museu oferece regularmente cursos, treinamentos, encontros, palestras e representa um ponto de apoio logístico para pesquisadores de todo o mundo.

O Museu também possui acervo bibliográfico especializado (Geologia, Biologia, Paleontologia, Química, Física, entre outros), centro de intercâmbio científico, videoteca e recursos audiovisuais.

O Museu de Paleontologia da URCA em Santana do Cariri mantém projetos de escavações permanentes de fósseis em toda a Bacia do Araripe, bem como coleta sistemática de fósseis nas frentes de escavações do calcário laminado, nos municípios de Nova Olinda e Santana do Cariri.

Esse programa é a principal ferramenta contra a exploração clandestina e o tráfico de fósseis na região. O museu recebe, em média, 900 visitantes por mês, sendo um dos principais centros de visitação da região do Vale do Cariri.

Seu atual acervo abriga vários grupos de fósseis, sendo que seus maiores representantes são: troncos petrificados (por silicificação), impressões de samambaias, pinheiros e plantas com frutos; moluscos, artrópodes (crustáceos, aranhas, escorpiões e insetos); peixes (tubarões, raias e diversos peixes ósseos), anfíbios e répteis (tartarugas, lagartos, crocodilianos, pterossauros e dinossauros).

Todo esse material fossilífero é proveniente, principalmente, das Formações Missão Velha e Santana (membros Crato, Ipubi e Romualdo) da Bacia do Araripe.

O Museu de Paleontologia da URCA em Santana do Cariri está aberto de terça-feira a sábado, das 8h às 16h, e no domingo, das 8h às 14h. Para visitas em grupo deverá ser feito agendamento prévio junto à administração do Museu.

– Igreja Matriz de Nossa Senhora Santana
– Casarão do Coronel Felinto Cruz (Museu Histórico)
– Pontal da Santa Cruz

5. Juazeiro do Norte

Milhares de fiéis visitam Juazeiro do Norte ao longo do ano, seja para pagar promessas ou apenas rezar pela memória de Padre Cícero, o maior mito da religiosidade nordestina.

O movimento é grande nos dias 24 de março e 20 de julho, datas de nascimento e morte do religioso; e também no mês de setembro, quando acontece a Festa de Nossa Senhora das Dores. Nenhum evento, porém, supera o Dia do Romeiro, comemorado em primeiro de novembro com missas, procissões e “aceno de chapéus de palha”, uma recriação coletiva do gesto com que o padre saudava o povo.

O cartão-postal da cidade é a estátua de “Padim Ciço”, com 25 metros de altura. Instalada na Colina do Horto, oferece vista panorâmica e abriga uma capela e um museu onde estão expostos objetos pessoais, pinturas e fotos do religioso.

O roteiro dos peregrinos inclui ainda o santuário do Coração de Jesus, a matriz de Nossa Senhora das Dores e a capela do Perpétuo Socorro, onde o padre está enterrado.

Para divertir os pequenos, estique o passeio até o Museu de Paleontologia de Santana do Cariri, a 18 quilômetros. O sítio arqueológico está entre os mais importantes do país, reunindo mais de sete mil fósseis de peixes, insetos, répteis, anfíbios e vegetais. Já o Arajara Park, em Barbalha (28 km), oferece piscinas, toboáguas e corredeiras.

Na hora das compras, visite o Centro de Cultura Popular Mestre Noza, com esculturas de madeira e de barro. Para adquirir peças religiosas – imagens do Padre Cícero, santos em gesso e pó de pedra, terços e medalhas – siga para as lojinhas próximas às igrejas e aos santuários.

A culinária também faz a fama de Juazeiro, que tem o baião-de-dois com pequi como carro-chefe. Também enchem os olhos o queijo da terra, a carne de sol com macaxeira e o mugunzá salgado, feito com milho, feijão, charque e mocotó de boi.

6. Crato

Na Cidade de Crato temmuseus de História do Crato; de História Natural da Urca e dos Fósseis (assim como em Santana do Cariri).

Tem ainda a Praça da Sé, o Caldeirão da Santa Cruz do Deserto, o Geoparque Araripe, o Geossítio Batateiras e o Parque do Sítio Fundão. Bom roteiro para quem gosta de trilhas ecológicas. Há ainda a Cascata do Lameiro, que proporciona uma vista maravilhosa ao passeio.

Guia de Turismo e Viagem do Cariri, Barbalha, Missão Velha, Santana do Cariri, Crato e Juazeiro do Norte no Ceará

Leave a Comment

You have to agree to the comment policy.

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.