Home / Bahia e Salvador Guia de Turismo / Salvador / Atrações no Centro Histórico de Salvador na Bahia

 

Salvador Centro AntigoA cidade de Salvador foi fundada em 1549 por Tomé de Souza e as grandes edificações foram, na sua maioria, erguidas a partir de 1624, após as guerras contra os holandeses.

São elas que compõem o centro histórico da cidade de Salvador da Bahia.

O Centro Histórico de Salvador, é extremamente rica em monumentos históricos que datam do século XVII até o século XIX. Salvador foi a primeira capital colonial do Brasil e a cidade é uma das mais antigas do Novo Mundo (fundada em 1549 por colonizadores portugueses).

Foi também o primeiro mercado de escravos do continente, com escravos que chegaram para trabalhar nas plantações de açúcar.

Esta área está na parte mais antiga da cidade, a Cidade Alta, de Salvador. Ele compreende à vários quarteirões em torno do Largo triangular e é o local para a música, restaurantes e vida noturna.

Na década de 1990, um esforço se deu para uma restauração que resultou em fazer uma área de atração turística altamente desejável.

Em 1985 foi honrada como Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO. O Centro Histórico é famoso por ter várias ruas, incluindo igrejas, cafés, restaurantes, lojas e os edifícios em tons pastel. Policiais patrulham a área para garantir a segurança.

Veja o Mapa de Salvador

video

Largo do Pelourinho

Largo do PelourinhoNo Centro Histórico podemos visitar o Largo do Pelourinho, com a Fundação Casa de Jorge Amado, sediada num dos sobrados de um conjunto arquitetônico do século XVII, que abrigam também amplo comércio de arte, museus, bares e restaurantes.

O lugar tem vida noturna agitada e às terças-feiras pode-se ver a apresentação do famoso grupo de percussão Olodum.

O Largo do Pelourinho, oficialmente Praça José de Alencar, é um logradouro situado no coração da parte mais antiga da cidade de Salvador, na Baía, no Brasil.

Bem ao pé das velhas Portas do Carmo, perto do Terreiro de Jesus e de um dos mais famosos conjuntos de igrejas barrocas das Américas, formado pelas igrejas da Ordem Terceira de São Francisco, toda em talha dourada; de São Francisco; do Rosário dos Pretos; do Passo e a imponente Catedral-basílica, antes Igreja do Colégio dos Padres, onde estudou o poeta Gregório de Matos e onde pregava o padre Antônio Vieira.

O Largo do Pelourinho é assim chamado em razão de ter sido, durante muitos anos, um local de suplício, onde os condenados eram expostos, amarrados ao pelourinho, aos olhos dos passantes e à execração pública. Pelas pedras redondas de seu calçamento, polidas pelo tempo, muito sangue correu, principalmente sangue dos negros supliciados, que, muitas vezes, ali mesmo morriam, vítimas de sua ânsia de libertação e da crueldade dos senhores.

Neste local, palco de tantas tragédias, cenário de tantas dores, mas também de intensa beleza, reproduzido em fotos pelo mundo inteiro, cartão-postal obrigatório de quantos visitem a cidade do Salvador, está plantada a Casa de Jorge Amado.

Terreiro de Jesus

Terreiro de JesusNos primeiros anos da década de 1550, na época da fundação de Salvador pelo Governador-Geral Tomé de Sousa, os jesuítas receberam do governador uma área a norte da nova cidade, na qual os padres da ordem liderados por Manuel da Nóbrega construíram uma primeira capelinha de taipa e o primeiro edifício do Colégio dos Jesuítas da cidade.

Devido à presença dos padres da Companhia de Jesus, o largo em frente passou a ser conhecido como Terreiro de Jesus. O edifício do colégio da companhia foi concluído em 1590, mas antes, em 1584, registrou Gabriel Soares de Sousa (“Notícia do Brasil”, 1587), que “…ocupa este terreiro e parte da rua da banda do mar um suntuoso colégio dos padres da Companhia de Jesus, com uma formosa e alegre igreja…”

A primeira igrejinha construída no local no século XVI era muito pequena e frágil, e entre 1652 e 1672 os jesuítas construíram no local uma suntuosa igreja, considerada a mais imponente do século XVII brasileiro.

A fachada maneirista da igreja, construída com blocos de pedra de lioz trazidos de Portugal, ainda domina a praça. O interior está composto por magníficos retábulos de talha dourada em estilos maneirista e barroco, destacando-se ainda o teto de madeira esculpida e a sacristia.

Em 1933, após da demolição da antiga Sé de Salvador, a igreja dos jesuítas passou a ser a nova Catedral de Salvador.

Além da catedral, o Terreiro abriga o Convento e a Igreja do São Francisco, a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco e ainda a Igreja da Ordem Terceira de São Domingos e a Igreja de São Pedro dos Clérigos. Estes templos, especialmente os dois primeiros, são expoentes máximos da arte colonial brasileira.

No início do século XIX, o edifício do antigo Colégio dos Jesuítas passou a ser usado como hospital e, em 1833, foi instalado ali a primeira faculdade de medicina do Brasil. O edifício colonial se perdeu num incêndio em 1905, sendo substituído por outro em estilo eclético.

Convento de São Francisco

Convento de São FranciscoOutra visita obrigatória é a Igreja e Convento de São Francisco. Esse pequeno convento, cuja construção se iniciou em 1591, foi ampliado posteriormente com a igreja do mesmo nome.

Seus altares são revestidos em ouro; o coro e a sacristia são obras-primas talhadas no jacarandá. Repare no teto da portaria do Convento, representativo de uma apoteose à Virgem, que parece se alterar à medida que você se desloca no recinto.

Os azulejos representam cenas da vida contemplativa dos monges. No claustro do térreo existem 37 painéis de azulejos inspirados nas gravuras do pintor flamengo Otto Van Veen. Vale a pena ver, é mesmo muito lindo!

Palácio Rio Branco

Palácio Rio BrancoO Palácio Rio Branco, com sua belíssima escadaria de ferro e cristal, construído no início do século XX e projetado pelo arquiteto italiano Júlio Conti, está aberto à visitação, com exposição de móveis, pratarias e faianças da época.

Saindo do Palácio Rio Branco, você estará pronto para visitar a Cidade Baixa, descendo pelo Elevador Lacerda.

Aproveite para dar uma passadinha no Posto de Informações Turísticas que ali fica, e pegar os folhetos explicativos sobre tudo o que você já viu e poderá ver em Salvador.

Para conhecer tudo no Centro Histórico, visitando as igrejas, os museus, olhando as lojas, tirando fotos com as baianas, deliciando-se com a vista do Belvedere, você precisará de pelo menos um dia; uma boa pedida é almoçar no restaurante-escola do SENAC no Pelourinho, que serve excelente comida típica.

Atrações no Centro Histórico de Salvador na Bahia

Bahia.ws é o maior guia de turismo e viagem da Bahia e Salvador

 
Share this page
 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

 
 
 
%d blogueiros gostam disto:
Play All Replay Playlist Replay Track Shuffle Playlist Hide picture