Home / Nordeste Guia Turismo / Ceará / Serra - Sobral e Ubajara / Guia de Turismo do Parque Nacional de Ubajara no Ceará

 

Parque Nacional de UbajaraUbajara é um município da Serra de Ibiapaba e fica a 340 km de Fortaleza.

Ubajara é considerada a capital do turismo da Serra da Ibiapaba, é uma pequena cidade, aconchegante e bem arborizada. A cidade é bem sinalizada conta com uma pequena infra-estrutura turística, constituída por hotéis, pousadas, uma cooperativa (COOPTUR) Cooperativa de Trabalho e Assistência ao Turismo Ltda.

Ubajara tem vários atrativos naturais como cachoeiras, rios, riachos, grutas, furnas e trilhas ecológicas. Destaca-se na horticultura, como os demais municípios serranos. No setor de serviços, seu grande potencial é o turismo.

ASPECTOS GEOFÍSICOS DE IBIAPABA

O planalto da Ibiapaba, Chapada da Ibiapaba ou Serra Grande, tem início a 40 km do litoral e vai aos confins ocidentais do estado.

mapa Serra de Ibiapaba

mapa Serra de Ibiapaba

Conduz o abraço do Ceará ao estado do Piauí. Ao todo, a Chapada da Ibiapaba possui 121 km. Nove cidades compõem o quadro geográfico da Ibiapaba: Viçosa do Ceará, Tianguá, Ibiapina, São Benedito, Carnaubal, Guaraciaba do Norte, Croatá, Ipu e Ubajara.

A altitude da serra varia entre 700 e 990 m, o clima se situa dentro do intervalo entre 18 e 29º C.
O solo é arenoso, composto de calcário cristalino com sedimentação salitrosa. As variações de vegetação são tropical pluvial, tropical plúvio – nebular e caatinga.

Quase toda a área é abastecida pelo açude Jaburu, que tem uma capacidade de 220.000.000 m3. Em toda a Serra há abundância de fauna e flora, o que vem a torná-la ainda mais deslumbrante.

ORIGEM DO NOME UBAJARA NO CEARÁ

A origem do nome Ubajara é indígena, quer dizer “Senhor da Canoa” para alguns e “Canoa Mãe D’água” para outros.

A primeira versão vem com a lenda de que um velho cacique, dono de uma canoa que teria sido o primeiro habitante da gruta. Só pelo nome percebe-se a importância da água para o local.

As Novas Macrorregiões do Ceará

As Novas Macrorregiões do Ceará

Existem outras traduções para Ubajara, como “Senhor das Flechas” e “Flecheiro Exímio”. Por volta de 1740 foi a instalação de um arraial com o nome de Ubajara, entre a atual cidade de Ubajara e o distrito de Araticum, o qual foi extinto depois de 1765 quando definitivamente encerrados os trabalhos de mineração da Gruta.

Posteriormente, por volta de 1877, foi a vez de um povoado com o nome de “Jacaré”, o qual foi totalmente destruído por um incêndio em 8 de outubro de 1884. Foi reconstruído à margem direita do córrego Jacaré e em 1890, já com uma população considerável, foi elevada à categoria de Distrito.

Em 1903 passou a ser chamada de Ubajara. O município foi criado em 1915, com sede na então Vila de Ubajara.

Várias traduções foram feitas para o topônimo Ubajara, por sábios historiadores e doutores e, todas tinham relação com a Gruta. Também foram feitas inumeráveis outras formas de topônimos, como Bayara, Ubayara, Baiara etc.

Porém, como todas estas apresentam corruptelas quanto à etimologia, por ser a mais correta, prevaleceu, portanto a grafia UBAJARA, que quer dizer “Senhor da Canoa”, de: Ubá canoa e Jará senhor.

Ademais, como para complementar a etimologia, historiadores como Pedro Ferreira, citaram até lendas épicas e rapsódias românticas ligadas a Gruta. Segundo ele, “este nome teria surgido da lenda de um cacique que, vindo do litoral, teria habitado a Gruta por muitos anos”.

GEOGRAFIA

Seu espaço geográfico caracteriza-se geomorfológicamente pela presença de rochas do paleozóico (siluro devoniano) Grupo Serra Grande e do Grupo Ubajara, respectivamente arenitos e calcários, importantes para a caracterização das feições morfológicas (formas de relevo), principalmente as rochas com carbonatos de cálcio, os quais formam a Gruta de Ubajara, um ecossistema altamente importante para o turismo científico, localizado no Parque Nacional de Ubajara.

O clima de Ubajara é agradável, tendo temperatura entre 14º C e 30º C e como medida de temperatura 24º C podendo estar frio, úmido ou temperado.

Como em geral o clima do Nordeste brasileiro, ocorrem duas estações distintas, apenas, “inverno”, a chuvosa, bastante curta e irregular; e “verão”, a seca. A estação chuvosa inicia-se em fins do verão e se torna mais importante no outono.

Cachoeira do Boi Morto

Cachoeira do Boi Morto

O período chuvoso que ocorre entre janeiro e junho, concentrando cerca de 80 a 90% do total pluviométrico anual sendo que no trimestre de maior volume de precipitações, fevereiro, março e abril, pode-se registrar 65% do total anual. De julho a dezembro tem lugar à estiagem.

PONTOS TURÍSTICOS DE UBAJARA

Como pontos turísticos de Ubajara destacam-se:

1. Cachoeira do Boi Morto: Situa-se a 13 km do município, é dividida em duas partes. Superior (balneário) e parte inferior (cachoeiras naturais).

Cachoeira do Frade

Cachoeira do Frade

2. Cachoeira do Frade: Localizada entre duas montanhas, percorrendo-se aproximadamente 500m, pode-se observar uma pedra em formato de um frade, daí o nome da cachoeira. Ambiente propício para banho e trilhas.

3. Casa do Major Pergentino de Souza Costa: Construída em 1917, casa histórica que mantém a mesma arquitetura da época e está em bom estado de conservação. Situa-se no centro da cidade.

4. Casa de Eupídio Luiz Ferreira: Construída em 1928 em estilo colonial. A casa é uma das primeiras construções de Ubajara, e ainda encontra-se toda original. Situa-se no centro da cidade.

Igreja Matriz

Igreja Matriz

5. Igreja Matriz: Construída em 1886. Patrimônio pouco expressivo com imagens de gesso. Situa-se no centro da cidade.

6. Bica do Cafundó: Situa-se dentro do Parque Nacional de Ubajara, oferece passeio ecológico e banho.

PARQUE NACIONAL DE UBAJARA

O Parque Nacional de Ubajara é do mais importante atrativo natural de Ubajara, embora seja o menor entre os 35 Parques Nacionais brasileiros em área, com 563 hectares.

Bica do Cafundó

Bica do Cafundó

O Parque Nacional de Ubajara está localizado na Serra da Ibiapaba e constitui uma das mais notáveis feições topográficas do Nordeste Brasileiro é administrado pelo IBAMA.

O objetivo principal é proteger o mais importante patrimônio espeoleológico cearense.

Constitui o ponto turístico mais visitado da serra, com exuberantes paisagens e uma rica diversidade biológica.

Mapa Parque Nacional de Ubajara

Mapa Parque Nacional de Ubajara

Legenda

1 Gruta de Ubajara

É formada por calcário moldado pelas águas subterrâneas. Para descer até a principal boca da caverna existem duas opções: pegar a trilha Ubajara – Araticum ou tomar o teleférico que leva do planalto à parte baixa.

2 Gruta do urso fóssil

Fechada à visitação pública, a pequena gruta de apenas 130 metros é importante devido aos fósseis de animais encontrados em seu interior.

3 Centro de visitantes

Próximo à Portaria Neblina, conta com biblioteca e sala de vídeo, além de uma exposição permanente com fotos e informações sobre a região.

4 Cachoeira Gameleira

Possui um mirante que oferece uma bela vista do parque. Dela tem-se a visão das cachoeiras do Cafundó, Gavião e Murimbeca.

5 Cachoeira Cafundó

Está localizada no riacho Bela Vista, afluente do rio Ubajara. Antes da queda maior, forma uma piscina natural, constituindo uma boa oportunidade para se refrescar do calor.

6 Rio das Minas

Denominação de um dos trechos do rio Ubajara, no cruzamento da trilha Ubajara – Araticum. Possui alguns poços para banho e está localizado a 500 metros da boca da Gruta de Ubajara.

A gruta de Ubajara, que é um dos mais importantes atrativos do Parque Nacional de Ubajara, há que se ressaltar que ela já sofreu grandes alterações a sua estrutura em razão da iluminação interna e das passagens para o trânsito de pessoas.

A gruta de Ubajara, assim como outras cavernas, formou-se em uma rocha calcária por processo de dissolução.

Quando a água e gás carbônico entram em contato, no solo, reagem formando ácido carbônico.

Ao passar pelas frestas da rocha, o ácido reage com o calcário, dando origem ao carbonato de cálcio, que é levado pela água.

Ao longo do tempo, o desgaste da rocha forma canais, que se ampliam gradativamente até formar galerias, salões e abismos. As paredes ficam instáveis, podendo desabar e abrir ainda mais a caverna.

Numa terceira etapa, a água goteja na caverna e o carbono de cálcio dissolvido nela dá origem às mais diversas formas de ornamentação da caverna, espeleotemas.

Além das conhecidas estalactites que pendem do teto e estalagmites que vêm do chão, ocorrem outras formas peculiares, de coloração variada, conforme a presença de minerais, como o óxido de ferro. Situada a 535 m de altitude, rica em espeleotemas, as trilhas com passeios a pé, cachoeiras, além do teleférico.

O teleférico do Parque Nacional de Ubajara é um dos cartões-postais da Serra da Ibiapaba, no Ceará.

O teleférico desce 550 metros. Um bondinho é uma alternativa para o percurso longo de quase quatro horas de caminhada do começo do parque até a gruta de Ubajara, isso sem falar na visão grandiosa que se tem lá de cima.

O percurso até a gruta de Ubajara passa pela cachoeira do Cafundó e por dois mirantes no caminho, cuja finalidade é apreciar as diferentes formas de vegetação, desde a caatinga até a mata úmida e a fauna variada.

De acordo com o zoneamento da gruta de Ubajara, ela está dividida em três zonas: zona de uso extensivo – não aberto à visitação, zona de uso intensivo – aberto à visitação e a zona intangível – inadmissível a qualquer tipo de visitação.

Ao todo são nove salas na gruta de Ubajara para visitação com as caracterizações abaixo:

Sala da Imagem: O calcário talhado pela erosão formou camadas semelhantes a uma cachoeira petrificada ou um altar onde os habitantes da região colocaram uma imagem da Virgem de Lourdes.

Gruta de Ubajara

Gruta de Ubajara

Sala do Sino: Uma imensa pedra rochosa, que, quando percutida, emite sons melodiosos semelhantes aos dos sinos quando tocada por outra rocha.

Sala da Rosa: Com o teto semelhante a uma rosa perfeita desfolhada, lá do alto, pingando sempre como conta-gotas, formando embaixo argamassa que vai se amontoando. Há cintilações de ouro e pedraria quando de encontro com a luz das lâmpadas.

Sala das Cortinas: Recebeu esse nome pelo fato de apresentar um espetáculo magnífico nas paredes, com concentrações calcárias que se assemelham a luxuosos cortinados de coloração e matizes da caricatura.

Sala dos Retratos: No teto, há manchas escuras com formas de retratos de mulher. Um deles tem a aparência exata de uma caricatura.

Sala do Índio: Tribos da intrépida nação Tabajara em eras longínquas já haviam se instalado ali. A pedra cujas formas se assemelha ser de um índio, parece que foi esculpida a mão.

Sala dos Seios: Saturada de beleza, há vasta predominância de pedras semelhantes aos seios de uma mulher deu procedência à sala. Além de estalactites e estalagmites que a ornam, revertendo-a as mais belas formas.

Sala do Presépio: A formação de um presépio divinamente feito pela natureza, a presença de aparentes personagens bíblicos.

Sala dos Brilhantes: A abundância de pedras cristalíferas torna-a exuberante.

Guia de Turismo do Parque Nacional de Ubajara no Ceará

 
Share this page
 

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

 
 
 
%d blogueiros gostam disto: